Cesar Cielo é bicampeão Mundial nos 50 m livre em Xangai

O brasileiro mostrou que é o mais rápido do mundo nas piscinas levando o título com muita superioridade pela segunda vez consecutiva na competição
São Paulo – Cesar Cielo é o nadador mais rápido do mundo. O brasileiro levou o bicampeonato dos 50 metros livre, neste sábado (30/7), no Mundial de Desportos Aquáticos de Xangai, China, na piscina do Centro Oriental de Esportes. Em Roma/2009 ganhou a prova pela primeira vez em um Mundial. Também é o campeão olímpico, em Pequim/2008, e o recordista mundial dos 50 m livre (20s91, obtidos em 2009). Cielo nadou a prova em Xangai em 21s52, mostrando grande superioridade em relação aos adversários. O italiano Luca Dotto ficou com a medalha de prata, com 21s90, e o francês Alain Bernard, com a de bronze, em 21s92. Cielo tem agora os dois melhores tempos do mundo no ano na prova, com os 21s52 deste sábado e os 21s26, que havia obtido em junho, no Paris Open. Cielo ganhou seu segundo ouro em Xangai e a nona medalha em Mundiais. Ao conquistar o bicampeonato nos 50 m livre, igualou o feito do americano Tom Jagger (Madri/1986 e Perth/1991) e do russo Alexander Popov (Roma/1994 e Barcelona/2003) e passa a ser o primeiro a ter o título olímpico e de dois mundiais em piscina longa seguidos. Cesar Cielo nadou na raia 5, teve um excelente tempo de reação (0s63) e liderou a prova desde o início, com grande superioridade. Numa prova em que todos nadam muito próximos, foi visível sua vantagem em relação aos adversários – Cielo chegou 0s38 antes de Luca Dotto e a 0s40 de Alain Bernard. Nathan Adrian, EUA, ficou em 4º (21s93), o brasileiro Bruno Fratus em 5º (21s96) – na semifinal, com bermuda emprestada de Cielo porque a dele rasgou, fez a melhor marca – , seguidos pelo húngaro Krisztian Takacz (21s99), o nadador de Trinidad e Tobago George Bovell (22s04) e o sul-africano Gideon Louw (22s11). “Sou campeão olímpico e o atual campeão mundial, por isso fiquei extremamente feliz com o resultado. As duas medalhas de ouro e o quarto lugar <i>(nos 100 m livre, com 48s01)</i> são resultados melhores do que os que eu imaginava há duas semanas. Sinto-me mais forte agora”, frisou Cielo. Na piscina, sua comemoração foi contida – trocou um abraço com Bruno Fratus. Mas o brasileiro voltou a se emocionar no pódio, na cerimônia de premiação, ao ouvir o Hino Nacional e ver a bandeira brasileira ser hasteada, e fez força para conter o choro. Sorriu e, a pedidos dos fotógrafos, puxou os olhos com os dedos, imitando chinês – na China, em Pequim/2008, ganhou a primeira medalha de ouro olímpica para o Brasil na natação, nos mesmos 50 m livre. “Os 50m livre eu nado dormindo, se precisar”, brincou, explicando que tem confiança de olhar para o fundo, saber a metragem em que está e se vai aguentar passar sem respirar ou não. “Então, é uma prova bem mais tranquila, um cenário bem mais relaxado. Mesmo assim, a adrenalina da final pega bem forte”, disse, ao comparar com a decisão dos 50 m borboleta, em que teve uma comemoração explosiva. “A prova de 50m borboleta é mais tensa, não tenho experiência nela, nunca tinha nadado em campeonato internacional”, observou. “É a primeira vez que eu olho pra trás e tenho realmente orgulho do que eu consegui superar. É claro que tive orgulho da medalha olímpica e de outros mundiais, mas este foi um desafio muito grande. Me sinto um cara muito mais preparado, muito mais confiante, porque não foi fácil ficar atrás da baliza esta semana. Espero que este seja um grande momento para todo mundo e para a natação também. Sair daqui com quatro medalhas de ouro, junto com a da Ana Marcela e do Felipe França, é uma campanha melhor que a de Roma. Pessoalmente, eu queria muito vir para cá, disputando as três medalhas. Consegui duas de ouro e elas estão com um peso maior que todas as outras da minha coleção”, afirmou. Cesar Cielo, de 24 anos, que é atleta do Flamengo e treina com o Projeto Rumo ao Ouro em 2016, o P.R.O. 16, coordenado pelo técnico Alberto Silva, tem agora nove medalhas ganhas em Mundiais. Chegou a Xangai com sete medalhas no currículo. No Mundial de Dubai/2010, em piscina curta (25 metros), Cielo levou ouro nos 50 m e nos 100 m livre e bronze nos revezamentos 4×100 m livre e 4×100 m medley. Em Roma/2009, em piscina olímpica, ganhou ouro nos 50 m livre e nos 100 m livre (com recorde mundial). Ainda tinha uma medalha de prata ganha com o revezamento brasileiro 4×100 m livre, no Mundial de Indianápolis/2004, o seu primeiro. Agora, em Xangai/2011, levou o ouro inédito nos 50 m borboleta e o bicampeonato nos 50 m livre. Tem dois dos quatro ouros conquistados pelo Brasil na competição (os outros foram com Felipe França, nos 50 m peito, e Ana Marcela, nos 25 km em águas abertas). O brasileiro fechará sua participação no Mundial integrando o revezamento 4×100 m medley do Brasil, que terá classificação na noite de sábado (30/7), a partir das 22 horas (horário de Brasília). Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.