Cesar Cielo abre Open no revezamento 4×50 m livre e com ouro para o Minas

Para ‘quebrar o gelo’ o campeão olímpico nada o revezamento antes das disputas dos 100 m e dos 50 m, no estilo livre: ‘Não fixei tempo, mas quero nadar bem’
Ouro no revezamento 4x50 m para a Fiat/Minas
Ouro no revezamento 4×50 m para a Fiat/Minas
  Palhoça, Santa Catarina – Cesar Cielo, campeão olímpico, tri mundial e recordista mundial dos 50 m livre, estreou nesta quarta-feira (16/12/2015) no Open de Natação, no Parque Aquático da Unisul, nadando o revezamento da distância para “quebrar o gelo” na sua primeira competição depois do Mundial de Kazan. Cielo optou por não abrir a prova – o tempo do primeiro atleta vale como índice – na primeira seletiva olímpica da natação. Foi o segundo homem no grupo do Minas Tênis Clube a cair na água (fez 21s44), com Alan Vitória, Ítalo Duarte e Felipe Martins, e garantiu o ouro do 4×50 m livre com 1min27s67. O Pinheiros ficou em segundo (1min27s95) e a Unisanta com o bronze (1min31s83). “Foi legal, mais para entrar na competição, quebrar o gelo. Agora a ideia é vir bem para os 100 m livre. Eu tinha dito ao Minas que preferia não abrir o revezamento, por ser a primeira prova. Era mais para dar um ‘choque’ físico, entrar na competição e, aí sim, dar uma descansada, passar o barbeador e tentar nadar bem os 100 m livre”, disse. Cesar Cielo nada os 100 m livre no Brasileiro Senior – Troféu Daltely Guimarães e Torneio Open de Natação na sexta-feira (18/12) e os 50 m livre no sábado (19/12). O nadador garantiu que está bem da lesão do ombro que o atrapalhou em Kazan. “Fisicamente, me senti bem. Eu voltei a treinar faz pouco tempo, depois da fisioterapia para o ombro, até o meio de outubro… Mas treinei bem. Não estou colocando um tempo como parâmetro, nem nada, mas quero nadar bem. Estou com uma expectativa legal para os 100 m livre e quero fechar bem o ano.”
Cesar Cielo, segundo no revezamento 4x50 m pela Fiat/Minas
Cesar Cielo, segundo no revezamento 4×50 m pela Fiat/Minas
Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, tem patrocínio da Unicred, Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Jeep e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte e Time Brasil.

Cesar Cielo assina com Unicred e mira 50 m livre e 4×100 m livre nos Jogos do Rio

O nadador fechou parceria com a instituição financeira cooperativa e tem mais um suporte para seguir trabalhando na briga pela quarta medalha olímpica para a natação brasileira
Cesar Cielo tem apoio da Unicred para campanha olímpica de 2016
Cesar Cielo tem apoio da Unicred para campanha olímpica de 2016
São Paulo – O nadador Cesar Cielo anunciou suas prioridades para os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016: “fazer um grande 50 m livre individual e nadar um dos melhores 100 m livre da vida no revezamento 4×100 m do Brasil”. Cesar Cielo recebeu a imprensa, nesta quarta-feira (3/9/2015), em São Paulo, para anunciar o seu novo patrocinador, a Unicred, instituição financeira cooperativa. O multimedalhista olímpico e mundial da natação e os vice-presidentes da Unicred do Brasil, Ricardo Roberto Alves e José Luís Barreto Alves, selaram a parceria assinando o contrato de dois anos. “Veio para adicionar, me dar uma tranquilidade ainda maior para eu investir nos treinamentos. Ajuda bastante ter um parceiro tão forte como a Unicred. Só tenho a agradecer: muito obrigado.” O médico Ricardo Alves ressaltou que Cielo é cooperado da Unicred desde 2006. “E esse foi um dos motivos para ser o escolhido para dar visibilidade à nossa marca”, frisou. Cesar Cielo falou que ainda tem “muita água pela frente” no tempo que falta até os Jogos do Rio, que é um nadador mais amadurecido do que quando ganhou o primeiro e único título olímpico da natação brasileira, em Pequim/2008, e que sabe “ouvir mais o seu corpo”. “Quero ser rápido!” O filho Thomas, que nasce neste mês de setembro – Cielo é casado com a modelo Kelly Gish – , será um estímulo extra. “Eu quero representar o meu país da melhor forma estando perto da minha família. Pode ser uma energia muito grande, uma motivação extra para, se Deus quiser, eu ser bem-sucedido no ano que vem.” Sobre a lesão no ombro “Não é grave, mas é aquela diferença do normal para a performance que o alto nível exige, aquele mínimo detalhe que faz a diferença na hora da competição. Estou muito melhor do que há três semanas. O objetivo é recuperar tanto a lesão quanto a confiança para eu poder fazer força como sempre fiz na piscina. Mas estou super tranquilo, tenho tempo de sobra. Em 2012, operei os dois joelhos e menos de dez meses depois fui campeão mundial. Não tenho dúvida de que em dezembro já estarei chegando perto da minha forma de novo.” Próximas competições “O Maria Lenk, o Evento-teste e os Jogos Olímpicos são as grandes competições do ano que vem. A última seletiva que a natação vai ter será muito importante – é ali que cada um vai confirmar sua vaga, o seu espaço no time. Os 50 m livre, com certeza, é o meu foco principal, assim como o revezamento 4×100 m livre. O revezamento é tão importante quanto os 50 m livre. Estou vendo uma chance de medalha para o Brasil no 4×100 m. Temos aí os times da França, Rússia e Austrália como grandes competidores… Os Estados Unidos também são, sempre, um grande adversário, mas eu diria que a gente entra aí, com o Brasil, entre esses cinco, e qualquer um pode levar.” Revezamento 4×100 m livre “Os 100 m livre é uma prova que está mais para o Matheus (Santana) e o Marcelo (Chieriguini), hoje os mais bem preparados do Brasil na distância. Estou pensando mais no revezamento. Se eu fizer um grande tempo no Maria Lenk ou na última seletiva posso até pensar, mas primeiro de tudo teria de ganhar desses dois, que estão nadando muito bem e acho que serão os representantes do Brasil nos 100 m livre na Olimpíada. Eu espero chegar no meu melhor porque eu quero fazer o meu melhor tempo dentro do revezamento. Vai ser importante uma superação do grupo para o Brasil brigar com a França, a Rússia… Na minha cabeça, o meu melhor tempo dentro do revezamento é mais importante. Por hoje, eu vou buscar a minha melhor prova nos 100 m livre pelo revezamento e tentar nadar um grande 50 m livre.” Mais maduro do que em 2008 “Eu tinha 21 anos e hoje tenho 28. O corpo é diferente, o jeito é diferente. Mas hoje eu acho que me preparo melhor do que antes, respeito mais a minha nutrição, o meu descanso. Na verdade, não tem como comparar, mas não é questão de ser melhor ou pior, é diferente. Eu me sinto hoje, nas competições e nos treinos mesmo, muito mais no controle do que eu estou fazendo, entendendo o que estou fazendo, do que há sete, oito anos.” Sobre adversários “Minha forma de treinar, pensar e nadar não muda, não. Eu vou tentar fazer o meu tempo, a minha parte porque se eu não fizer isso eu não me coloco em uma situação para ganhar ou desafiar a prova em si. O meu objetivo principal sempre é baixar o meu tempo. Aí, a minha parte eu fiz e vai depender do decorrer dos outros acontecimentos para ver a posição em que posso ficar.” Mundial de Kazan “O Mundial não é um lugar ideal para enfrentar uma adversidade, mas estou vendo o lado positivo. Não foi na Olimpíada do Rio e tenho um ano para voltar aos 110%. Eu ainda me coloquei na final dos 50 m borboleta (foi 6º) no meu quinto Mundial. São dez anos indo a finais de Mundiais. Nós do esporte sabemos que é preciso superar o que passou. É bola pra frente, pensar no próximo objetivo, a Olimpíada do Brasil. Eu sou tricampeão mundial nos 50 m livre, bi nos 50 m borboleta, tenho recordes mundiais, não era vida ou morte para mim. Fica a decepção por não poder deixar o que se sabe na piscina. Para a Olimpíada, se vou ganhar ou perder, não sei, só quero sair da piscina com o melhor tempo da minha vida.” Nova geração “O processo de transição faz parte, como foi com o Gustavo Borges e o Xuxa (Fernando Scherer). A nova geração, em algum momento, vai atacar e tomar a frente desse novo grupo da natação. O Bruno Fratus, o Marcelo Chieriguini e o Matheus Santana… Assim que eles conseguirem o primeiro resultado importante, um título mundial, uma medalha olímpica, a transição ocorrerá naturalmente. É legal o país estar forte, com times de revezamentos, com medalhas em várias provas. A primeira vez que sentimos isso foi em Roma/2009, quando o Felipe França pegou medalha no peito, tivemos dois revezamentos em quarto… Sentimos que o grupo poderia ser forte. Mas é um caminho a longo prazo. Foi de lá para cá e hoje temos um time diferenciado, mais completo. Espero que seja uma crescente que não pare, que a gente faça uma transição com grandes resultados.” Mudanças “Não tenho medo de mudar. Não é porque está a um ano da Olimpíada que tem de ter receio de fazer mudanças. Elas são para melhorar, evoluir. Eu sempre acreditei em algumas coisas que me levaram ao patamar que alcancei, minha dedicação, meu comprometimento na forma como cuido da minha vida fora da piscina. Mas algumas coisas, independentemente de ter a temporada perfeita na piscina, sempre podem melhorar, buscando tempos melhores a cada temporada. O importante é o resultado vir e eu fazer o que estiver nas minhas mãos para obter o meu melhor resultado possível.” Parceria com o técnico Arilson Silva “Tenho uma grande parceria com o Ari. As mudanças em si não afetam o que aconteceu. É uma lesão que não me deixa fazer o que sempre fiz na piscina. Mas as decisões foram as melhores que eu podia ter feito – venho sendo campeão, nos últimos anos, em todos os grandes campeonatos. As mudanças que eu fiz sempre foram as melhores, vieram com grandes resultados, mas esse ano foi atípico. Vou precisar rever algumas coisas, mas a moldura do que eu quero fazer para o ano que vem está pronta. É só tomar cuidado com alguns detalhes e com essa parte física.” Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, tem patrocínio da Unicred, Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Jeep e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte e Time Brasil.

Cesar Cielo quer ‘virar a página’ do Mundial e focar nos Jogos Olímpicos

‘Agora está doendo, mas me imagino tendo sucesso no Rio e vendo que isso aqui foi só um aprendizado para, se Deus quiser, conquistar uma medalha’, diz o nadador São Paulo – O velocista Cesar Cielo, tricampeão mundial dos 50 m livre, está de volta ao Brasil, disposto a ‘virar a página’ do que aconteceu no Mundial de Kazan, na Rússia, e focar na preparação para os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. O campeão olímpico encerrou sua participação no Mundial após a disputa dos 50 metros borboleta, numa decisão conjunta com os integrantes das comissões médica e técnica da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), por causa de uma lesão no ombro esquerdo. Cielo explicou por que deixou o Mundial de Kazan antes de nadar os 50 m livre. “Pelos 50 m borboleta vimos que a coisa não estava do jeito que a gente esperava e, em alguns dias, seria muito difícil reverter o jogo. Estávamos tentando melhorar a situação, mas o medo também era arriscar e agravar ainda mais o ombro. Agora é começar a pensar na Olimpíada… Foi uma decisão difícil. Quando a coisa não está certa… Até as minhas malas não chegaram(foram extraviadas). Mas é virar a página e pensar que esse livro ainda não acabou. Tem a Olimpíada no ano que vem, que é o nosso grande palco”, disse Cielo, que foi recebido pela esposa Kelly Gisch, grávida de Thomas, o primeiro filho do casal. A lesão no ombro atrapalha a sua preparação para a Olimpíada? Cesar Cielo – Estava programado um certo descanso agora (para depois do Mundial e do Finkel). A ideia é voltar a treinar da mesma forma que antes, saudável, recuperado, e pensar na seletiva, em dezembro, e na temporada de 2016. Então, na verdade, não muda muito. O difícil é lidar com a situação agora. São meses de dedicação, de comprometimento com o processo – nutrição, descanso… – é bem frustrante uma coisa dessas acontecer e mais frustrante ainda nadar sabendo que não é o que eu sei fazer na piscina. Quem me acompanha sabe que dou 100% sempre. Era o meu 100% dessa vez, mas muito longe do meu 100% que é o meu melhor. É buscar esse melhor que eu posso aqui em casa. Você abriu mão dos Jogos Pan-Americanos pelo Mundial. Você já vinha sentindo dores, tinha algo que te incomodava? Cesar Cielo – Começou um pouco antes do Open da França, em Vichy Val D’Alier, e os resultados lá também foram aquém do que a gente esperava. Com o descanso para a competição, tirando um pouquinho a musculação, a intensidade e o volume do treino, imaginamos que fosse, naturalmente, ajudar. Mas não foi suficiente. Melhorava, eu fazia algum estímulo, voltava de novo, tratava, melhorava um pouco, voltava… Ficou nessa montanha russa. No polimento, quando fico mais descansado, ganho muita velocidade e acabei não tendo esse ganho. Nunca havia acontecido. Tudo vai ajudando para eu tentar chegar cada vez mais completo nessa temporada do Rio e, se Deus quiser, na melhor forma possível. Sua preparação foi a ideal? Cesar Cielo – Eu estava treinando bem, fazendo os melhores tempos da minha vida. Veio o Grand Prix de Charlotte e estava tudo como o programado, mas ali em Vichy saiu do trilho. Pessoalmente, estou surpreso porque eu nunca tive esse problema. Mas estou tranquilo porque tenho tempo até a Olimpíada. Eu saí de uma Olimpíada, em 2012, operei o joelho e, no ano seguinte, fui campeão mundial, em menos de dez meses. Com o joelho e tudo funcionando não estou vendo problema em voltar melhor do que eu estava antes. O quanto é difícil recuar na véspera de uma Olimpíada e como foi a sua saída da seleção? Cesar Cielo– Teve uma reunião entre os integrantes da comissão técnica e médica, mas não é fácil para mim porque eu sou aquele cara que estica a corda o tempo inteiro e eu acho que eu posso ganhar o tempo inteiro. Eu entrei naquela final dos 50 m borboleta achando que eu iria ganhar, mesmo estando na raia 8. Sentia que não estava nadando bem, mas não entendia – na hora da prova é tanta adrenalina, não sentia dor. E também está na hora de criar maturidade, com 28 anos. Gostaria muito de defender o meu título lá, mas esse é só um obstáculo no caminho para uma grande história que posso fazer no Rio. Pensando mais para a frente a decisão técnica era, com certeza, sair. Neste momento está doendo, mas me imagino tendo sucesso no Rio e vendo que isso aqui foi só um aprendizado para, se Deus quiser, conquistar uma medalha olímpica. Foi uma decisão de consenso, você não se despediu do grupo? Cesar Cielo – Sim, a decisão conjunta com os integrantes da comissão técnica e médica foi de eu sair “à francesa”. Depois da reunião eu não ia me despedir dos caras. Eu estava para baixo e eles precisando estar para cima, para nadar super bem… Não consegui me despedir. Mandei uma mensagem para os caras quando estava em Moscou. É uma das partes que me machuca também. Foi muito difícil ver revezamento ficar em quarto (4×100 m livre), sabendo que eu posso ser um diferencial na prova. É difícil também olhar o Brasil de longe. A sensação de deixar tudo e ser mais egoísta nessa hora é muito difícil. É tentar recuperar esse mental, porque estou muito para baixo, e virar a página. É o marco do ano para a Olimpíada e tenho 364 dias para ficar pronto. Vou fazer o que for preciso. Já fiz isso várias vezes e essa vai ser mais uma vez. Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio da Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte.

Cesar Cielo deixa o Mundial de Kazan após avaliação da equipe médica brasileira

São Paulo – Cesar Cielo encerrou sua participação no Mundial de Kazan após a disputa dos 50 metros borboleta. O nadador deixou a delegação brasileira nesta quarta-feira (5/8/2015) após avaliação da equipe médica que o acompanhava na Rússia. Cielo chegou ao Mundial queixando-se de dores no ombro esquerdo. Os exames iniciais apontavam para uma lesão no tendão supra espinhoso, bastante utilizado pelos nadadores, especialmente na braçada do estilo crawl. De acordo com Gustavo Magliocca, médico da equipe brasileira de natação em Kazan, uma avaliação após a disputa dos 50 metros borboleta (em que Cesar Cielo terminou com a sexta posição) e de 24 horas de repouso, mostrou que houve uma extensão do processo inflamatório. Uma nota da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) oficializou a decisão médica. Na Rússia, o especialista explicou que é preciso preservar o atleta. “Essa lesão foi evoluindo à medida que ele nadava. Ontem tivemos 24 horas de repouso e pudemos observar melhor a evolução da lesão. Optamos em fazer um ultrassom do ombro, que mostrou que o processo inflamatório era maior e um pouquinho mais avançado do que a gente imaginava, acrescentando outros diagnósticos à hipótese inicial médica”, afirmou. “Considerando o estado físico dele, o pouco tempo que tínhamos aqui e, principalmente, o foco nos Jogos Olímpicos Rio 2016, optamos pelo corte neste momento para preservá-lo e iniciar o mais rápido possível a reabilitação desse ombro.” Cesar Cielo também estava inscrito para a disputa dos 50 metros livre, prova da qual é o atual tricampeão mundial (Roma/2009, Xangai/2011 e Barcelona/2013) – as eliminatórias serão realizadas na sexta-feira (7/8/2015). Em seu retorno ao Brasil, o nadador fará novos exames de imagem e iniciará tratamento fisioterápico. Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio da Unicred, Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte. Mais informações: www.cesarcielo.com.br e www.facebook.com/CesarCielo

Cesar Cielo melhora marca, mas termina os 50 m borboleta no Mundial de Kazan em sexto lugar

Nadador se concentra agora na disputa dos 50 metros livre, prova em que é o atual tricampeão mundial; disputa das eliminatórias será na sexta-feira (7/8/2015)
Cesar Cielo melhora tempo nos 50 m borboleta, mas não esconde decepção com o 6º lugar no mundo
Cesar Cielo melhora tempo nos 50 m borboleta, mas não esconde decepção com o 6º lugar no mundo
  São Paulo – Cesar Cielo foi o sexto colocado nos 50 metros borboleta no Mundial de Kazan, final disputada nesta segunda-feira (3/8/2015), na Kazan Arena, Rússia. O brasileiro melhorou seus tempos durante toda a disputa – entrou três vezes na piscina (eliminatórias, semifinal e final) -, mas a marca de 23s21 não foi suficiente para que o bicampeão mundial da prova conquistasse um lugar no pódio. Seu melhor tempo no ano é 23s11, feito no Troféu Maria Lenk. O ouro ficou com o francês Florent Manaudou (22s97), a prata com o brasileiro Nicholas Santos (23s09) e dois atletas receberam o bronze, com 23s15: o húngaro Laszlo Cseh e o polonês Konrad Czerniak. Cielo entrou na final na raia 8, com o oitavo tempo da semifinal. Nas eliminatórias, disputadas na madrugada de domingo, pelo horário de Brasília, e manhã na Rússia, Cielo fez 23s66. No mesmo dia, à noite em Kazan, nadou a semifinal em 23s29. Não ficou satisfeito com o resultado – uma lesão no ombro está atrapalhando o nadador. “Eu não tinha nada a perder, estava na raia 8, e a prova acabou não sendo boa de novo. Foi uma chegada ruim, e uma saída mais ou menos. Abaixei (o tempo) um pouquinho mais em relação a ontem, mas está difícil. Agora é corrigir tudo isso para chegar bem na Olimpíada.” Cesar Cielo ainda nada os 50 m livre, com eliminatórias e semifinais na sexta-feira (7/8) e decisão no sábado (8/8). Nessa prova, além de ser campeão olímpico (Pequim/2008) e recordista mundial (20s91), é tricampeão mundial (Roma/2009, Xangai/2011 e Barcelona/2013). Os ouros de Cesar Cielo em Mundiais (50 m) Mundial de Barcelona/2013 Ouro nos 50 m borboleta -23s01, em 29/7/2013 Ouro nos 50 m livre – 21s32, em 3/8/2013 Mundial de Xangai/2011 Ouro nos 50 m borboleta -23s10, em 25/7/2011 Ouro nos 50 m livre – 21s52, em 30/7/2011 Mundial de Roma/2009 Ouro nos 50 m livre – 21.08, em 1/8/2009, recorde do campeonato Ouro nos 100 m livre – 46.91, em 30/7/2009, recorde mundial Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio da Unicred, Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte. Acompanhe também no www.facebook.com/CesarCielo

Cesar Cielo disputa a final dos 50 m borboleta no Mundial de Kazan

Nadador passa à briga por medalhas após melhorar tempo e se recuperar de eliminatória ruim; prova será na manhã de segunda-feira (3/8/2015), a partir das 11h30 (de Brasília)
Cesar Cielo é o atual bicampeão mundial dos 50 m borboleta
Cesar Cielo é o atual bicampeão mundial dos 50 m borboleta
São Paulo – Cesar Cielo disputa a final dos 50 metros borboleta do Mundial de Kazan, nesta segunda-feira (3/8/2015), a partir das 11h30 (horário de Brasília). O brasileiro, bicampeão mundial da prova, passou à decisão com o oitavo tempo, 23s29, melhorando em quase quatro centésimos a marca que havia obtido nas eliminatórias disputadas na Arena Kazan. Seu melhor tempo no ano na prova, 23s11, foi conquistado no Troféu Maria Lenk. “Meu anjinho da guarda está de parabéns pelo dia de hoje, estou brincando com fogo. É uma satisfação estar na final de novo, mesmo na raia 8. Fazendo uma boa prova qualquer coisa pode acontecer. Se eu conseguir tirar um 22 (nadar na casa dos 22 segundos) eu posso estar na briga. Mas está difícil nadar rápido, vou me concentrar em fazer uma prova melhor amanhã.” Cielo não nadou a semifinal e a final do revezamento 4 x 100 metros. Cielo não ficou satisfeito com o seu desempenho nas eliminatórias, disputadas durante a manhã em Kazan, madrugada de domingo do Brasil. Fez o 14º tempo, 23s66. “Foi uma manhã horrível, tinha quase certeza de que não iria fazer a semifinal”, avaliou o nadador. Cielo informou que sentiu dores no ombro, decorrentes de uma lesão sofrida durante o período de treinos em Eindhoven, na Holanda, após a disputa do 9º Open da França, em Vichy Val D’Alier, no início de julho. Sobre a semifinal, disse Cielo: “Na hora da adrenalina, a gente sente muito pouco (o incômodo no ombro).A sensação não está boa, mas não é hora de pensar nisso. O objetivo era chegar na final. Entrei apertadíssimo. Amanhã é entrar com tudo para melhorar essa posição.” Cesar Cielo ainda nada os 50 m livre, com eliminatórias e semifinais na sexta-feira (7/8) e decisão no sábado (8/8). Nessa prova, além de ser campeão olímpico (Pequim/2008) e recordista mundial (20s91), é tricampeão mundial (Roma/2009, Xangai/2011 e Barcelona/2013). Dia 3/8/2015 (segunda-feira) – horários de Brasília 11h30 – Semifinais e finais 100 m peito masculino (final) 100 m borboleta feminino (final) 100 m costas masculino (semifinal) 100 m peito feminino (semifinal) 50 m borboleta masculino (final) 100 m costas feminino (semifinal) 200 m livre masculino (semifinal) 200 m medley feminino Os ouros de Cesar Cielo em Mundiais (50 m) Mundial de Barcelona/2013 Ouro nos 50 m borboleta -23s01, em 29/7/2013 Ouro nos 50 m livre – 21s32, em 3/8/2013 Mundial de Xangai/2011 Ouro nos 50 m borboleta -23s10, em 25/7/2011 Ouro nos 50 m livre – 21s52, em 30/7/2011 Mundial de Roma/2009 Ouro nos 50 m livre – 21.08, em 1/8/2009, recorde do campeonato Ouro nos 100 m livre – 46.91, em 30/7/2009, recorde mundial Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio da Unicred, Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte. Mais informações: www.cesarcielo.com.br e www.facebook.com/CesarCielo

Para Cesar Cielo, desafio do Mundial de Kazan começa pelos 50 m borboleta

O velocista nada a prova no primeiro dia das competições na piscina da Kazan Arena, construída no estádio que receberá jogos da Copa de 2018  
Chegou a hora - Cesar Cielo estreia no Mundial de Kazan nos 50 m borboleta
Chegou a hora – Cesar Cielo estreia no Mundial de Kazan nos 50 m borboleta
São Paulo – O velocista Cesar Cielo estreia no Mundial de Desportos Aquáticos de Kazan pelos 50 m borboleta, neste domingo (2/8/2015), na Kazan Arena – a piscina foi montada no estádio que receberá jogos da Copa do Mundo de futebol em 2018. Cielo é bicampeão mundial da prova, com os ouros conquistados em Xangai/2011 e Barcelona/2013, embora não se defina como um especialista no estilo. O brasileiro ocupa a segunda posição no ranking mundial da prova, com 23s11, tempo do Troféu Maria Lenk, em maio. O líder do ranking, Nicholas Santos (22s90), é companheiro de Cielo na seleção. Cesar Cielo ainda nada os 50 m livre, com eliminatórias e semifinais na sexta-feira (7/8) e decisão no sábado (8/8). Nessa prova, além de ser campeão olímpico (Pequim/2008) e recordista mundial (20s91), é tricampeão mundial (Roma/2009, Xangai/2011 e Barcelona/2013). “É entrar com tudo nos 50 m borboleta, tentar nadar super bem, mas o foco do primeiro dia é o revezamento 4×100 m do Brasil porque tem a final à noite e a final dos 50 m borboleta só na terça-feira à noite. Então, o foco desse primeiro dia de provas será nadar bem o revezamento, testar esse revezamento um ano antes da Olimpíada, mesmo sabendo que ainda não é a linha de chegada e a gente tem uma boa janela de melhora. É um bom primeiro teste para ver se a gente vai bem no ano que vem”, disse Cielo. Cesar Cielo não disputou mais nenhuma prova após o 9º Open da França, em Vichy Val D’Alier, no início de julho – ganhou duas medalhas de prata, nos 50 m livre e nos 50 m borboleta. Depois do torneio francês seguiu para Eindhoven, Holanda, onde permaneceu trabalhando, com o técnico Arílson Silva, no Centro de Treinamento do ex-nadador Peter Van Hoognband até o embarque para a Rússia, na última terça-feira (28/7). “Foi bem proveitoso o período de treino. Tive uns contratempos de uma pequena lesão. Eu estava sentindo uma dor no ombro, que ainda sinto, mas nada demais. A estrutura era muito legal e foi uma boa escolha ter feito a preparação final lá.” “Para os 50 m livre é esperar os 50 m borboleta, os revezamentos. Os resultados vão dando o tom da semana. É lógico que um bom resultado nos 50 m borboleta daria confiança, alegria e seria muito bom, mas com certeza, é uma prova de cada vez, um dia de cada vez. Vou entrar nos 50 m borboleta, tentar fazer o meu melhor e ver como a competição vai estar.” Sobre a pressão por ser favorito e ao mesmo tempo competir com adversários duríssimos, Cesar Cielo disse que a maturidade favorece. “Com relação a competição, nada demais. A experiência vai ajudando. A agenda de competições é a mesma de sempre, desde o primeiro Mundial do qual participei. É torcer para ficar calor aqui a semana inteira porque a piscina é coberta, mas não é fechada… Então, se fizer frio aqui em Kazan, vai ficar frio na piscina também. É concentrar nas performances, não tem segredo para lidar com o nervosismo e tudo isso. Nessa competição é tentar o melhor que eu posso, fazer as minhas melhores provas, para entrar muito bem em 2016 e ir com tudo para a Olimpíada.” Dia 2/8/2015 (domingo) – horários de Brasília 3h30 – Eliminatórias 100 m borboleta feminino 400 m livre masculino 200 m medley feminino 50 m borboleta masculino – Cesar Cielo 400 m livre feminino 100 m peito masculino 4×100 m livre feminino 4×100 m livre masculino 11h30 – Semifinais e Finais 100 m borboleta feminino (semifinal) 400 m livre masculino (final) 200 m medley feminino (semifinal) 50 m borboleta masculino (semifinal) 400 m livre feminino (final) 100 m peito masculino (semifinal) 4×100 m livre feminino (final) 4×100 m livre masculino (final) Dia 3/8/2015 (segunda-feira) 11h30 – Semifinais e finais 100 m peito masculino (final) 100 m borboleta feminino (final) 100 m costas masculino (semifinal) 100 m peito feminino (semifinal) 50 m borboleta masculino (final) 100 m costas feminino (semifinal) 200 m livre masculino (semifinal) 200 m medley feminino Os ouros de Cesar Cielo em Mundiais (50 m) Mundial de Barcelona/2013 Ouro nos 50 m borboleta -23s01, em 29/7/2013 Ouro nos 50 m livre – 21s32, em 3/8/2013 Mundial de Xanguai/2011 Ouro nos 50 m borboleta -23s10, em 25/7/2011 Ouro nos 50 m livre – 21s52, em 30/7/2011 Mundial de Roma/2009 Ouro nos 50 m livre – 21.08, em 1/8/2009, recorde do campeonato Ouro nos 100 m livre – 46.91, em 30/7/2009, recorde mundial Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio da Unicred, Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte. Mais informações: www.cesarcielo.com.br e www.facebook.com/CesarCielo

Cesar Cielo leva duas pratas no Aberto da França e segue preparação na Holanda

O velocista fechou a competição em Vichy Val D’Alier no pódio dos 50 m borboleta e dos 50 m livre, mesmo sem repetir os tempos do Maria Lenk; agora termina preparação para o Mundial em Eindhoven
Cesar Cielo e o técnico Arilson Silva seguem para a Holanda e a preparação final para o Mundial de Kazan
Cesar Cielo e o técnico Arilson Silva seguem para a Holanda e a preparação final para o Mundial de Kazan
São Paulo – O campeão olímpico e mundial Cesar Cielo fechou o 9º Open da França, em Vichy Val D’Alier, neste domingo (5/7/2015), com duas medalhas de prata, nos 50 m livre e nos 50 m borboleta. Não era preocupação de Cielo vencer as provas, mas testar a preparação para o Mundial de Kazan, na Rússia, em agosto. Seus parâmetros eram os tempos feitos no Troféu Maria Lenk, em abril. Mesmo sem ter alcançado o tempo feito no Troféu Maria Lenk, em abril, nos 50 m livre, prova forte que reuniu a elite do ranking mundial, Cesar Cielo ficou com a medalha de prata, com 22s15, neste domingo (5/7/2015). O francês Florent Manaudou foi o primeiro (21s61) e o grego Kristian Gkolomeev (22s17) o terceiro na competição. Cielo nadou a distância em 21s84 no Maria Lenk. No sábado, Cesar Cielo ficou com o segundo lugar nos 50 m borboleta, com 23s44, atrás do russo Andrey Govorov (23s37) e à frente do francês Florent Manaudou (23s45). O melhor tempo do brasileiro na prova este ano também é do Maria Lenk – 23s11. O Aberto da França marcou o começo da fase de aclimatação do brasileiro na Europa. Nesta segunda-feira (5/7/2015), Cesar Cielo e o técnico Arilson Silva seguem para Eindhoven, na Holanda, para as semanas finais de preparação para o Mundial de Esportes Aquáticos de Kazan, de 2 a 9 de agosto para a natação. Cielo vai nadar as duas provas de velocidade, os 50 m livre, em que é campeão olímpico e tricampeão mundial (e recordista mundial, com 20s91), e os 50 m borboleta, em que é bicampeão mundial. Por causa do programação, Cielo optou por não disputar os Jogos Pan-Americanos de Toronto. Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte.

Cesar Cielo disputa Aberto da França por seus melhores tempos do ano

O campeão olímpico, que se prepara para o Mundial de Kazan, em agosto, nada os 50 m borboleta e os 50 m livre e não está preocupado com colocações, mas em bater as marcas que fez em abril, no Maria Lenk
Cesar Cielo: 50 m borboleta e 50 m livre no Aberto da França
Cesar Cielo: 50 m borboleta e 50 m livre no Aberto da França
São Paulo – O campeão olímpico e mundial Cesar Cielo volta a competir, desta vez no 9º Aberto da França, em Vichy Val d’Allier, com a expectativa de obter os seus melhores tempos do ano nos 50 m livre e 50 m borboleta. Cielo avisou que não vai pensar em posições nas provas, mas sim em verificar o seu programa de treinamento para o Mundial de Kazan – a natação será de 2 a 9 de agosto. Cesar Cielo nada os 50 m borboleta, neste sábado (4/7/2015) – com eliminatórias às 4h30 e final às 13h30 (horários de Brasília). No domingo (5/7/2015), os 50 m livre são a oitava prova do programa de eliminatórias que terá início às 4h30 – a final será às 13h54 (horários de Brasília). “A expectativa aqui é de nadar bem, dentro dos resultados que a gente está esperando, que é nadar o mais rápido desse ano até agora – o meu melhor são os 21s84 do Troféu Maria Lenk”, acentua Cielo que nos 50 m borboleta tem 23s11, também do Maria Lenk, em abril. Cielo tem a quarta melhor marca do mundo no ranking nos 50 m livre e a segunda nos 50 m borboleta. “Nossa expectativa é ser mais rápido do que isso nos 50 m livre. E também nadar mais rápido do que fiz no Maria Lenk nos 50 m borboleta e ver em que posição que posso chegar aqui… Não estou com expectativa de colocação, mas sim em relação a tempo para cumprir o nosso programa de treinamento e o que está fazendo sentido para a gente no momento. Espero que dê para ganhar as duas provas, mas mais importante do que isso, nessa competição em especial, é sair daqui com a expectativa que a gente tinha alcançada”, disse Cielo, que trabalha com o técnico Arilson Silva, que está na França e seguirá com ele na Europa. “Queremos chegar bem próximo do que ele poderá fazer em Kazan numa competição em que estão os franceses e também outros nadadores importantes”, disse o técnico Ari, que segue com Cielo para Eidhoven, na Holanda, para as semanas finais de preparação. Cielo vai encontrar os integrantes da seleção em Kazan, na Rússia. Cesar Cielo foi anunciado entre as estrelas internacionais do mundo pelos organizadores do Aberto da França, ao lado de campeões da natação como Cameron van der Burgh (AFS), Liam Tancock (GBR), Fabio Scozzoli (ITA) e Arkady Vyatchanin (RUS), contra os franceses a algumas semanas do Mundial de Kazan, na Rússia. Entre os franceses velocistas, a competição terá Florent Manadou, Fabien Gilot, Clement Mignon e Mehdy Metella. Programa de provas do 9º Open de France: http://www.open-natation.fr/competition/programme Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte.