Cielo vai focar preparação na defesa dos títulos mundiais dos 50 m livre e borboleta

Apesar da prata no estilo borboleta no Maria Lenk, mas com o índice da Fina, ele vai a Barcelona animado com a possibilidade de duplo pódio com Nicholas Santos

Rio de Janeiro – O velocista Cesar Cielo, do Clube de Campo de Piracicaba, ficou com a medalha de prata nos 50 m borboleta (23s16), no Troféu Maria Lenk, nesta sexta-feira (26/4) e não chegou ao forte índice para o Mundial, de 23s11, exigido pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) para a prova. Mas, como já está classificado para a disputa dos 50 m livre (com o segundo melhor tempo do mundo no ano: 21s57) e nadou abaixo da marca fixada pela Fina, de 23s96, poderá também competir nos 50 m borboleta em Barcelona se nenhum outro nadador brasileiro fizer o índice CBDA no Brasileiro de Inverno. A medalha de ouro ficou com Nicholas Santos (23s06) e o bronze com Guilherme Roth e Felipe de Souza Martins, empatados, com 23s94.

Cielo, que passou por cirurgia nos dois joelhos há seis meses, fez um balanço positivo da competição. Afinal, o seu tempo nos 50 m borboleta é o quinto do mundo este ano. Ele foi o campeão mundial dos 50 m borboleta em Xangai/2011, com 23s10. “Fiz o que tinha de fazer neste campeonato. Vim aqui, testei os joelhos e consegui nadar bem. Agora, é treinar forte para o Mundial e pensar na defesa dos dois títulos”, disse Cielo, que quer principalmente o tricampeonato dos 50 m livre no Mundial de Barcelona, a partir de 24 de julho.

Sobre a prova desta sexta-feira, comentou que ainda sofre na partida. “Foi uma prova boa. A saída me matou de novo, saí bem atrás do Nicholas e tive de buscar no braço mesmo. Cheguei bem pertinho dele. Estou vendo aí uma janela para melhorar para o Mundial. Dá para tirar uns 2, 3 décimos de segundo nos primeiros 15 metros. Tirando 2 ou 3 décimos, é bem empolgante imaginar o que a gente pode projetar para o Mundial. Estou feliz pelo Nicholas”, disse Cielo.

Acrescentou que não treinou o borboleta este ano porque o movimento de flexão das pernas é um pouco maior do que o do livre. “Mesmo assim, foi bom, meu tempo é o quinto do mundo este ano.” Nicholas fez o segundo tempo do ano (23s06). Os outros mais bem posicionados no ranking são o francês Fred Bousquet (23s00), o sul-africano Roland Schoeman (23s11) e o francês Florent Manadou (23s14). “Esta prova é super vitoriosa. Fui campeão em 2011 em piscina longa e o Nicholas foi campeão mundial em 2012, em piscina curta. Então, tem aí os dois atuais campeões do mundo”, comentou. “Estou muito contente por o Nicholas ter conseguido o índice. Ele é um cara que merece estar sempre na seleção, é campeão mundial. Vamos ver se conseguimos uma dobradinha no Mundial”, acrescentou.

Cesar Cielo agora volta sua preparação para o Mundial – vai se concentrar na busca pelo tricampeonato dos 50 m livre. Em maio, fará algumas semanas de treinos nos Estados Unidos, em Phoenix, Arizona, e competirá no Grand Prix de Santa Clara, na Califórnia, de 31 de maio a 2 de junho. Depois, vai disputar o Open de Paris, no início de julho – “um cara a cara com o Manadou, uma semana antes do Mundial, um grande desafio”, afirmou Cielo. Depois da competição em Paris, Cielo permanece na Europa, onde vai se reunir à seleção brasileira por volta do dia 14.

Cesar Cielo é atleta do Clube de Campo de Piracicaba e tem patrocínio da Embratel, Gatorade, Audi e Correios.

 

Trofeu Maria Lenk/Natacao

Cesar Cielo faz balanço positivo do Maria Lenk: ‘Fiz o que podia na competição. Estou feliz!”

Share

Comments are closed for this post.

Comments are closed.