Cesar Cielo fecha Maria Lenk com vagas em três provas confirmadas no Mundial

Encerrado o prazo para a obtenção de índices, campeão olímpico e mundial assegura presença em Kazã nos 50 m livre, 50 m borboleta e nos 100 m livre: ‘Vamos ter que nadar melhor’, sobre a equipe brasileira
Cesar Cielo mira Kazã como ponto alto de 2015
Cesar Cielo mira Kazã como ponto alto de 2015
Rio – O campeão olímpico e mundial Cesar Cielo deixou o Campeonato Brasileiro Absoluto – Troféu Maria Lenk de Natação 2015 com vagas confirmadas nos 50 m livre, 50 m borboleta e 100 m livre, na equipe do Brasil que irá para o Mundial de Kazã, na Rússia. Nas provas individuais, fechou o Maria Lenk, no parque aquático do Fluminense, no sábado à noite (11/04/2015), com medalha de prata nos 100 m livre (48s97) – Matheus Santana ganhou o ouro (48s78) e João de Lucca o bronze (49s15). Na atual fase da carreira, após três medalhas olímpicas e 16 ganhas em Mundiais, Cesar Cielo encara o cenário de forma diferente. “As competições grandes vão ditar a minha performance. Não tem como ser de outra forma”, disse Cielo, que vai a Kazã para brigar pelo tetra mundial dos 50 m livre. Cielo ainda ganhou o ouro com o revezamento 4×100 m medley da Fiat/Minas – com Thiago Pereira, Felipe Lima e Henrique Martins (3min35s20), no último dia de provas. Na competição, conquistou também com os revezamentos da Fiat/Minas o ouro no 4×50 m livre e a prata no 4×100 m livre. No total, foram seis medalhas, 4 de prata (50 m livre, 50 m borboleta, 100 m livre e 4×100 m livre) e 2 de ouro (4×50 m livre e 4×100 m medley). Cielo só lamentou que o Minas Tênis Clube não tenha levado o título – a distância para o Pinheiros foi bem pequena – 5,50 pontos. O Pinheiros somou 2.138,50 pontos e o Minas, que liderou a competição toda, finalizou com 2.133,00, com o Corinthians em terceiro. “Todos deram o máximo, mas faltaram alguns pontos para o título”, comentou Cielo, que nadou pela primeira vez ao lado de Thiago Pereira um torneio de clubes. Cielo confirmou o índice em suas três provas no Maria Lenk, mas tinha tempos melhores que prevaleceram, da disputa do Open, em dezembro: 21s60, nos 50 m livre, 22s91, nos 50 m borboleta, e 48s58, nos 100 m livre. No Mundial, cada país pode levar dois atletas por prova. Sobre os Jogos Pan-Americanos de Toronto, em julho – o Mundial será na sequência, com poucos dias de intervalo entre uma competição e outra – , e os resultados que a natação poderá obter Cesar Cielo disse que todos terão de melhorar. “Foi uma semana cansativa e agora é ter foco total nas competições, no Pan ou no Mundial seremos todos Brasil, e para termos grandes conquistas nessas competições vamos ter que nadar melhor.” Revezamento nos planos
Cesar Cielo, no Mundial: 50 m livre e borboleta e revezamento 4x100 m livre
Cesar Cielo, no Mundial: 50 m livre e borboleta e revezamento 4×100 m livre
O balanço de Cielo sobre as três pratas que ganhou nas provas individuais.”Gostei do tempo dos 50 m borboleta (23s11). Queria um pouquinho mais dos 100 m livre (48s91), e os 50 m livre foi a prova que mais deixou a desejar (21s84). Foi uma semana bem cansativa. No final das contas, foi uma competição boa para treinar. Mas acho que, no geral, a natação sai daqui com a cabeça de que, para o Mundial, a gente precisa nadar melhor do que isso”, avaliou. A ideia de Cielo é brigar pelo tri nos 50 borboleta, além do tetra nos 50 m livre, e compor um bom revezamento 4×100 m livre do Brasil no Mundial. No Maria Lenk, Matheus Santana fez o índice para o Mundial nos 100 m livre. Considerando os tempos do Torneio Open, em dezembro de 2014, e mais os do Maria Lenk, a formação do 4×100 m livre do Brasil teria Bruno Fratus (48s57), Cesar Cielo (48s58), Matheus Santana (48s78) e Marcelo Chierighini (49s06). O quinto na lista dos 100 m livre é João de Lucca, com 49s15. O Mundial seleciona 12 equipes para os Jogos Olímpicos Rio 2016. “Podemos ter um grande revezamento, do mesmo nível de equipes como a França e a Austrália, mas temos de nadar os quatro para 48 segundos”, afirmou Cielo. A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), informou que definirá com técnicos e nadadores, numa reunião em São Paulo (de 17 a 19/4/2015), as equipes brasileiras que irão aos Jogos Pan-Americano e ao Mundial de Kazã. Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte.

Cesar Cielo garante vaga na seleção que vai a Kazã nos 50 m borboleta

O velocista, tricampeão mundial dos 50 m livre e bi dos 50 m borboleta, levou a medalha de prata (23s11) em dobradinha com Nicholas Santos que ganhou o ouro (22s90) no Troféu Maria Lenk
Cesar Cielo: vaga nos 50 m borboleta
Cesar Cielo: vaga nos 50 m borboleta
Rio – O velocista Cesar Cielo voltou a confirmar índice para o Mundial de Kazã, dessa vez nos 50 m borboleta, nesta sexta-feira (10/4/2015), no parque aquático do Fluminense, no penúltimo dia de competições do Troféu Maria Lenk. Cesar Cielo, que defende a Fiat/Minas, completa a competição com a disputa dos 100 m livre, neste sábado (11/4) – eliminatórias a partir das 8h30 e finais A às 17h15. Nos 50 m borboleta Cielo ficou com a prata (23s11), com o segundo melhor tempo do ano no mundo. Nicholas Santos ganhou o ouro em 22s90, o primeiro tempo de 2015. O bronze ficou com Henrique de Souza Martins, companheiro de Cielo na Fiat/Minas, com 23s38. O Minas Tênis Clube segue na liderança da competição 1.759 pontos. “Eu acho que o Nicholas nadou super bem, fez um belo tempo e para ser sincero eu gostei do meu tempo também. Eu estava treinando para tentar nadar na casa do 22 segundos lógico, mas acho que sem descanso completo foi o melhor tempo que eu já fiz na minha vida, esses 23s1. Então fica uma expectativa bacana para quando eu descansar para o Mundial, ver se eu chego perto desse recorde sul-americano, de repente até bater.” Cielo é recordista sul-americano dos 50 m borboleta, com 22s76. “Acho que enquanto eu estava treinando para o Mundial cheguei a fazer um 23s00 e agora nadei para 23s01, tendo uma janela de melhora bacana. Agora é focar no Mundial para tentar fazer o meu melhor tempo”, completou. Cesar Cielo, que é muito exigente com a sua performance, sabe que não está polido e descansado de uma forma ideal para a competição e sabe que ainda vai melhorar muito até o Mundial. “Fiquei a meio segundo do meu melhor tempo para os 50 m borboleta e também a tenho de tirar esse meio segundo nos 50 m livre. Mas estou satisfeito com essa prova, mais do que fiquei com a do nado livre. A competição está indo, estou fazendo o máximo e vamos ver se a gente consegue ganhar o título por equipes para a Fiat/Minas.” Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte.

Cielo e Thiago nadam juntos o revezamento do Minas no Maria Lenk

Os medalhistas olímpicos da natação brasileira levaram a prata no 4×100 m livre para a Fiat/Minas: ‘Queremos ser exemplo para a molecada”
Cesar Cielo, Thiago Pereira, Alan Vitória e Henrique Martins
Cesar Cielo, Thiago Pereira, Alan Vitória e Henrique Martins
Rio – O revezamento 4×100 m livre do Minas Tênis Clube ficou com a medalha de prata no Troféu Maria Lenk, nesta quinta-feira (9/4), com Alan Vitória, Henrique Martins, Thiago Pereira e Cesar Cielo, em 3min16s12. O Pinheiros levou o ouro (3min15s83) e a Unisanta ficou com o bronze (3min16s38). Mas o destaque ficou com a Fiat/Minas que reuniu Cielo e Thiago, dois medalhistas olímpicos, no mesmo time. Cesar Cielo ainda disputará os 50 m borboleta, nesta sexta-feira (10/4), e os 100 m livre, no sábado (11/4). “Foi uma prova bem nadada. O Thiago entrou no revezamento na última hora porque o Nilo (Nicolas Oliveira) ficou doente, teve febre….É muito difícil nadar contra especialistas da prova – o Pinheiros tem um revezamento muito bom. No fim, acho que nadamos muito bem por ter chegado tão perto quanto a gente chegou. Não deu para ganhar, mas a gente ficou pertinho e o importante é continuar nadando assim até sábado e fazer o máximo que der para sermos campeões por equipe”, disse Cesar Cielo. “A gente nada tanto tempo juntos em seleção e agora estamos brigando por pontos pela mesma bandeira também no clube. Estamos fazendo o máximo e tentando mostrar para a molecada que não tem segredo, é muito trabalho e profissionalismo”, completou. Thiago disse que é a primeira competição por clubes que nada com Cesar Cielo. “Está sendo maravilhoso. O Minas só tem a ganhar com isso e espero que a gente deixe exemplo para a molecada que está aparecendo. Muito difícil nadar contra o Pinheiros, com quatro especialistas em velocidade. Eu acabei sendo um coringa para substituir o Nilo – o Fernando Silva também teve problemas”, acrescentou Thiago, lembrando que nadou com Cielo, pela seleção, os revezamentos 4×100 m livre no Mundial de Melborne, e o 4×100 m medley, no Pan do Rio, ambos em 2007. Cielo ainda brincou dizendo que quer ajudar a dar o primeiro título de campeão brasileiro por equipes para Thiago, pelo Minas. “Vamos ver se esse cara consegue ser campeão pela primeira vez.” O Minas Tênis Clube terminou o quarto dia de competições na liderança (com 1.357 pontos). Estrutura para levar a natação ao pódio
Cielo ainda vai nadar os 50 m borboleta e os 100 m livre
Cielo ainda vai nadar os 50 m borboleta e os 100 m livre
Cielo e Thiago afirmam que a molecada pode acreditar na possibilidade de estar na seleção brasileira e acreditam em bons resultados para a natação, mas gostaria de ter as mesmas condições de outras equipe do mundo. “Estamos precisando de uma piscina coberta, aquecida, com ventilação, digna de um campeonato seletivo”, disse Cielo. “As plaquinhas (de tempo) oficiais, um ano antes da Olimpíada…, isso é mais do que necessário”, completou Thiago. “Vemos a Holanda já fazendo as seletivas olímpicas nos horários em que serão as provas olímpicas – eliminatórias a uma da tarde e finais às dez da noite…. A gente gostaria de fazer também, mas sabe que aqui já vai estar frio, não é legal nadar em piscina aberta…”, disse Cielo. Cielo acha que tem de se pensar passo a passo até os Jogos de 2016. “As meninas estão evoluindo, eu e o Thiago, ele indo para a quarta Olimpíada e eu para a terceira. Está tudo caminhando para dar certo, mas com o pé no chão e sabendo que é muito trabalho, um degrau de cada vez, primeiro Pan e Mundial. Não deixar a expectativa ser maior do que deve ser e a gente quer representar o Brasil numa Olimpíada muito bacana.” Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte.

Cesar Cielo leva a prata nos 50 m livre e confirma vaga no Mundial

O velocista garantiu presença na seleção que vai a Kazã, na Rússia, em agosto, na prova mais rápida da natação, no Maria Lenk, mas disse que esperava mais – ‘Teremos de fazer mais do que isso’
Cielo fecha prova em 21s84: 'Esperava um pouco mais'
Cielo fecha prova em 21s84: ‘Esperava um pouco mais’
Rio – O velocista Cesar Cielo ficou com a medalha de prata nos 50 m livre, no Troféu Maria Lenk, nesta quarta-feira (7/4), com 21s84, nadando pelo Minas Tênis Clube. O velocista, campeão olímpico e mundial, confirmou o índice para o Mundial de Kazã, na Rússia, em agosto, mas já tinha tempo menor – 21s60, feito no Open, em dezembro de 2014. O ouro ficou com Bruno Fratus (21s74) e o bronze com Alan Vitória (22s28), companheiro de Cielo na equipe Fiat/Minas. A equipe mineira fechou o terceiro dia de provas na liderança do Troféu, com 979 pontos, seguido por Pinheiros e Corinthians, de São Paulo. “Foi uma prova fraca. Nós já nadamos bem mais rápido do que isso, podemos ser bem mais rápidos. Então, no Mundial, a gente tem de estar um pouco melhor. Não podemos nadar assim lá porque se não…. a gente vai estar em perigo. O importante, tanto para mim quanto para o Bruno, era garantir essa vaga no Mundial e, agora, é focar para tentar defender bem o Brasil nas competições internacionais”, disse Cielo. Sobre o que é preciso melhorar Cielo respondeu que “um pouco de tudo” e explicou que nadou mais de meio segundo acima do seu melhor tempo na prova, na era das bermudas. “Tem muita coisa para melhorar. É terminar essa competição, continuar tentando fazer o melhor na piscina, até sábado, e ver o que a gente pode fazer depois para melhorar para no Mundial, para ficar na mesma forma que no ano passado.” Cielo tem 16 medalhas ganhas em Mundiais, em piscina olímpica e curta.

 Cesar Cielo e Alan Vitória: medalhistas da equipe Fiat/Minas nos 50 m livre

Nesta quinta-feira (9/4), Cesar Cielo nada o revezamento 4×100 m livre, com a Fiat/Minas, com finais a partir das 17 horas, no parque aquático do Fluminense. Ainda disputará os 50 m borboleta, na sexta-feira (10/4), e os 100 m livre, no sábado (11/4), com eliminatórias pela manhã e finais à tarde. Pan ou Mundial? Cesar Cielo tem respondido a essa pergunta nos últimos meses e ela se repetiu no parque aquático do Fluminense: Pan ou Mundial? Observa que para disputar o Pan, que será em Toronto, no Canadá, e o Mundial, em Kazã, na Rússia, com poucos dias de diferença entre o fim de um torneio e o início do outro, seria necessário ter uma logística complicada para as viagens e aclimatação. E repete que sua prioridade é o Mundial de Kazã – Cielo é tricampeão dos 50 m livre e bicampeão dos 50 m borboleta e tem títulos bem importantes para defender na Rússia. “Eu provavelmente vou só para o Mundial, mas acho que nas provas dos 50 m e dos 100 m, no estilo livre, independentemente disso, o Brasil estará bem representado. O Brasil está com bons nadadores dos 50 e 100 metros livre. Sendo o terceiro, o quarto ou até o quinto nadador do País, estaremos bem representados no Pan e indo para brigar pela prova. No Mundial, estamos indo com o primeiro e o segundo do ranking nacional, e para brigar por medalha também. Da minha parte, sei que vou ter de nadar para aqueles 21s3, 21s4 que vinha fazendo.” Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte.

Cesar Cielo nada Troféu Maria Lenk por vaga no Mundial

O velocista, campeão olímpico e mundial, quer confirmar seu lugar na equipe que vai para Kazã, em agosto, para a principal competição do ano; também brigará por pontos para a Fiat/Minas
Cesar Cielo busca pontos para a Fiat/Minas
Cesar Cielo busca pontos para a Fiat/Minas
São Paulo – O velocista Cesar Cielo, campeão olímpico e mundial, disputa o Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação – Troféu Maria Lenk 2015, no parque aquático do Fluminense, no Rio – com 347 atletas, de 39 clubes -, a partir desta segunda-feira (6/4/2015) e até sábado (11/4). A competição será marcada pela disputa entre os brasileiros por vagas nas seleções para o Pan e o Mundial. E pela luta entre os clubes. Será a primeira vez que Cesar Cielo e Thiago Pereira nadam juntos pela Fiat/Minas. O Minas Tênis Clube tem nove títulos brasileiros (1987, 89/91/93/94/96/97, 2011 e 2013). O Maria Lenk será classificatório para os Jogos Pan-Americanos de Toronto (CAN), de 14 a 18 de julho, e o Mundial dos Esportes Aquáticos de Kazã (RUS), de 2 a 9 de agosto. Cada País poderá ter dois atletas por provas – a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) informou que as seleções serão anunciadas até a metade do mês de maio. Cesar Cielo disputará no Maria Lenk os 50 m livre, na quarta-feira (8/4), os 50 m borboleta, na sexta-feira (10/4), e os 100 m livre (11/4), no sábado, além dos revezamentos da Fiat/Minas.O programa de provas prevê eliminatórias a partir das 9 horas e finais a partir das 17 horas. Cielo tem índices nas três provas, feitos no Open de Natação, em dezembro (21s60, nos 50 m livre, 22s91, nos 50 m borboleta, e 48s58, nos 100 m livre). “É o primeiro teste dessa nova fase de treinamento, mas a gente não se preparou especificamente, com um polimento completo. Vamos fazer isso somente para o Mundial. As disputas das provas vão ser boas, apesar de eu achar que ninguém deva bater os tempos, tanto o do Bruno (Fratus) quanto o meu, nos 50 m livre, e também o meu e o do Nicholas (Santos), nos 50 m borboleta. Vou tentar nadar o melhor possível, mas não é o meu cem por cento. Isso, só no Mundial mesmo”, afirmou Cesar Cielo. “O objetivo é confirmar a vaga no Mundial e fazer o primeiro teste do novo programa de preparação do Cesar”, observou o técnico Arílson Soares da Silva. São cinco os velocistas com índices nos 50 m livre (Bruno Fratus, Cesar Cielo, Nicholas Santos, Walter Lessa e Ítalo Duarte), mas apenas dois integrarão a seleção. “Nessas provas de velocidade é preciso ficar sempre esperto”, completa Ari. Também terá a disputa para a formação dos revezamentos do Brasil – o Mundial é seletiva olímpica (classificam-se para os Jogos Rio 2016 até o 12º colocado em Kazã). Na mira, o Mundial Cesar Cielo disse que está com a visão do ciclo olímpico terminando no Rio, em 2016, mas ressaltou que este é ano de destaque. “É muito importante a natação fazer um grande Pan e Mundial. Como se diz na minha terra, Santa Bárbara D’Oeste, não adianta colocar a carroça na frente dos cavalos. Primeiro temos de pensar no Mundial. Vamos ver como vai ser a convocação das equipes, mas estou me preparando, mentalmente, para o que eu posso fazer em kazã. O primeiro passo para fazermos uma grande Olimpíada é sair do Pan e Mundial com grandes resultados”, disse Cielo. Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios e apoio do Bolsa Pódio/Ministério do Esporte.