Cesar Cielo vence 100 m livre e sai do Maria Lenk com 6 medalhas e o índice técnico

O velocista levou o ouro na prova que não disputava de forma competitiva há algum tempo: ‘Vim para ganhar e ganhei as três, estou feliz’, disse, referindo-se também aos títulos nos 50 m livre e borboleta  
Matheus Santana e Cesar Cielo, prata e ouro nos 100 m livre
Matheus Santana e Cesar Cielo, prata e ouro nos 100 m livre
São Paulo – O campeão olímpico e mundial Cesar Cielo fechou sua participação no Troféu Maria Lenk com mais um ouro individual, desta vez nos 100 m livre, com 48s13, neste sábado (26/4), no Parque Aquático do Ibirapuera, em São Paulo. Este é o terceiro tempo do ano no mundo (James Magnussen, com 47s59, e Cameron McEvoy, com 47s65, são primeiro e segundo do ranking, respectivamente). Cielo levou o ouro para a Fiat/Minas, a medalha de prata ficou com Matheus Santana (48s61), com recorde mundial júnior, pela Unisanta, e a de bronze com João de Lucca (48s67), pelo Pinheiros. Cielo fez uma competição excelente, desde segunda-feira (21/4), terminando com seis medalhas,quatro de ouro (50 m livre, 50 m borboleta,100 m livre e no revezamento 4×50 m livre), uma de prata (4×100 m livre) e uma de bronze (4×100 m medley). Por sua incrível performance nos 50 m livre – ouro com o melhor tempo do mundo no ano: 21s39 – ficou com o índice técnico masculino do Troféu Maria Lenk. Entre as mulheres, o índice ficou com Jeanette Ottesen Gray, dinamarquesa que competiu pelo Corinthians. Com suas medalhas Cielo ajudou o Minas Tênis Clube a ficar com a vice-campeonato do Troféu Maria Lenk, com 1.990,50 pontos, atrás do Corinthians (2.875,50) e a frente do Pinheiros (1.730).
Cesar Cielo fecha Maria Lenk com ouro nos 100 m livre
Cesar Cielo fecha Maria Lenk com ouro nos 100 m livre
“Estou muito contente. Não escondo que a vitória nos 100 m livre tem, para mim, foi especial. Eu vejo o Marcelo (Chierighini) e o João de Lucca nadarem na liga universitária norte-americana e é sempre legal a gente disputar. É o cara que foi o campeão da NCAA (João de Lucca) contra o cara que ganhou em 2008 (ele próprio). Fica aquela briguinha oculta, que ninguém sabe, mas que a gente sabe que tem. Com esse grupo, acho que podemos ter planos ambiciosos para o revezamento do Brasil”, disse Cielo. O velocista acha que pode a voltar a nadar para 47 segundos a distância, “que Marcelo e João estão com os 47 segundos nas mãos” e aposta numa evolução de Matheus. Acha que, assim, o revezamento do Brasil pode sonhar com medalha. Convite a Matheus: “Vem treinar comigo! Sobre as declarações de Matheus Santana, de 17 anos, que era criança quando viu Cesar Cielo ganhar a medalha de ouro olímpica, em Pequim/2008, o velocista afirmou que “ele tem tudo para ser o próximo nome dos 100 m livre”. “Comemorar esse resultado aqui, para ele, é hoje e amanhã. Depois, tem de botar a cara na água e treinar – bateu o recorde mundial júnior, é o melhor brasileiro júnior e isso é muito bom! Mas ele tem de treinar, pensar na medalha em 2016.” Cielo contou que, depois da prova, convidou Matheus Santana para treinar algumas vezes no Minas Tênis. “É bom termos entrosamento. Acho que esse revezamento vai ter de trabalhar junto, pensando em 2016.” Comentou que Matheus mostrou muita energia nos 100 m livre. “Não mede esforço, não tem limite… como todo nadador de 17 anos. Pôs na cabeça que não ia morrer e veio para cima de mim. Poxa, se tivesse mais cinco metros de prova… não sei não. Veio como um trator ali do lado e eu pensei – cadê a parede”, comentou, rindo. “É muito legal ver que de alguma forma eu tive uma influência. Eu vivi isso com Gustavo Borges e Xuxa (Fernando Scherer) e, apesar de termos dez anos de diferença de idade, esse tipo de troca é importante na natação. Acho que ele vai evoluir e o de Lucca, que está fora do radar de muita gente, assim que transferir os resultados da piscina de jardas para a de metros, pode surpreender.” Leilão da touca do GRAACC No revezamento 4×100 m medley da Fiat/Minas Cesar Cielo, Henrique Martins, Felipe Lima e Marcos Antônio Macedo nadaram com a touca cor da pele do GRAACC (Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer) e deixaram a piscina com o bronze em 3min38s95, com Pinheiros em primeiro (3min37s40) e o Corinthians em segundo (3min38s11). Cielo autografou a touca com a qual ganhou os 50 m livre e que será leiloada pelo site Ídolos Eternos, em maio. A touca da cor da pele, visual carequinha simulando a cabeça de crianças que fazem quimioterapia, usada pelo campeão mundial e olímpico objetiva chamar a atenção para a causa do combate ao câncer infantil. Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, e tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios.

Cesar Cielo leva ouro nos 50 m borboleta com melhor tempo do ano no mundo

O bicampeão mundial fez 23s01 na prova e ainda ajudou a Fiat/Minas a ficar com a prata no 4×100 m livre; velocista nada 100 m livre e 4×100 m medley no último dia do Troféu Maria Lenk
Nicholas, Cielo e Chiereguini, pódio dos 50 m borboleta
Nicholas, Cielo e Chiereguini, pódio dos 50 m borboleta
São Paulo – O velocista Cesar Cielo conquistou a medalha de ouro com o melhor tempo do mundo no ano nos 50 m borboleta – 23s01 -, no Troféu Maria Lenk, nesta sexta-feira (26/4), no Parque Aquático do Ibirapuera, em São Paulo. O brasileiro, bicampeão mundial da prova, passou ao topo do ranking, posição que pertencia ao sul-africano Roland Schoeman, com o tempo de 23s07, feito em Durban, em abril. Cielo levou o ouro nos 50 m borboleta pela Fiat/Minas, com 23s01, formando o pódio com Nicholas dos Santos, da Unisanta (23s23), e Marcelo Chiereghini, do Pinheiros (23s95). Foi o segundo ouro com melhor tempo do mundo. Na quarta-feira (23/4), Cielo já havia ganhado o título nos 50 m livre, com o primeiro tempo do ranking mundial (21s39). Ao todo, tem três ouros na competição – também venceu o revezamento 4×50 m livre com a Fiat/Minas. Cesar Cielo ainda fechou o revezamento 4×100 m livre da Fiat/Minas, nesta sexta-feira (25/4) – caiu na água quando o time, formado também por Nicolas Nilo Oliveira, Fernando da Silva e Felipe de Souza Martins, estava em terceiro lugar e ainda ganhou uma posição. A Fiat/Minas ficou em segundo, com 3min17s20. O Pinheiros venceu a prova (3min15s04) e a Unisanta ficou com a medalha de bronze (3min18s02). “Eu e o Nicholas sempre tivemos uma disputa muito saudável e eu tive a sorte hoje, mas acho que os dois tem capacidade para nadar para 22 segundos. É a gente continuar nessa disputa para nadar cada vez mais rápido”, disse Cesar Cielo. O velocista comentou sobre erro que cometeu na largada. “A nadada foi muito boa, mas eu tive um problema na saída e quase fui parar na raia 6 – brinquei com o Felipe (de Souza Martins), que é meu companheiro de treino, que eu quase encostei nele embaixo da água. Minha mão direita escapou na hora da largada, mas a parte nadada está super encaixada, bem forte, mas tem de pensar em nadar para 22 segundos. Foi bom fazer o primeiro tempo do ranking, mas temos de pensar em tempos mais baixos.”
Cielo pega revezamento em terceiro e ganha uma posição
Cielo pega revezamento em terceiro e ganha uma posição
“Nos 4×100 m livre o Pinheiros levou a melhor, mas ainda tem muito campeonato pela frente e espero que a gente consiga dar o troco no 4×100 m medley. Foi bom nadar o revezamento. Peguei bem atrás ali, nadando contra o Marcelo (Chiereghini) e sabia que buscar um finalista de Mundial não ia ser uma tarefa muito simples. Então deu para garantir o segundo lugar. E vamos ver como vai ser os 100 m livre”, disse Cielo que nada a prova individual da distância, neste sábado (26/4), com eliminatórias às 9h30 e final a partir das 17 horas.
Cielo concentrado para a largada
Cielo concentrado para a largada
“Estou bem nervoso com esses 100 m livre. Estou como o Phelps (Michael Phelps, o multicampeão mundial e olímpico) – eu vi as mãos dele tremendo antes dos 100 m borboleta. Parece que faz tanto tempo que não nado os 100 m livre…” Cielo nadou a prova, e venceu, na estreia da temporada, no GP de Orlando, em fevereiro (49s28). Cielo disse que o desafio será competir contra Marcelo Chiareghini e João De Lucca, que “estão nadando muito bem o campeonato universitário dos Estados Unidos”. Cielo disse que assistiu a volta de Michael Phelps, no Grand Prix de Mesa, nadando os 100 m borboleta – ficou em segundo (52s13), atrás de Ryan Lochte (51s93). “Faltou competição para ele, estava sem as manhas do cara fora de série que é, mas espero que ele tenha gostado do resultado, que é bem expressivo, que seja um impulso para ele continuar e que se classifique para a Olimpíada do Rio. A natação só tem a ganhar – ele é o melhor de todos os tempos.” As provas de Cesar Cielo Dia 26/4, sábado, no Parque Aquático do Ibirapuera 9h30, eliminatórias e 17 horas, finais 100 m livre revezamento 4×100 m medley Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, e tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios.

Cesar Cielo dá show no Maria Lenk, com ouro e melhor marca do mundo nos 50 m livre

O velocista, campeão mundial e olímpico, nadou a distância em 21s39 para a assumir a ponta do ranking no ano; dedicou a vitória às crianças ‘carequinhas’ do GRAACC
Bruno Fratus, Cesar Cielo e Nicholas dos Santos no pódio dos 50 m livre
Bruno Fratus, Cesar Cielo e Nicholas dos Santos no pódio dos 50 m livre
São Paulo – O velocista Cesar Cielo deu show no Troféu Maria Lenk ao vencer os 50 m livre com o tempo de 21s39 – melhor marca do mundo na temporada e o terceiro tempo de sua carreira na distância mais rápida da natação mundial, no Parque Aquático do Ibirapuera, em São Paulo. Cielo tinha a terceira marca do mundo (21s71, feito nas eliminatórias da manhã desta quarta-feira, 23/04), mas desbancou o australiano Eamon Sullivan, que liderava o ranking com 21s65, e ainda passou o francês Florent Manaudou, que tem 21s70. Cielo, pela Fiat/Minas, levou o ouro em dobradinha com Bruno Fratus, do Pinheiros, com 21s45 (vice-líder do mundo). Nicholas dos Santos, pela Unisanta, ficou com a medalha de bronze (22s32). “Uma prova que me dá confiança para o que eu possa fazer no futuro”, resumiu Cielo, que agora tem oito títulos no Maria Lenk, sete deles consecutivos. “É a terceira vez que nado para 21s3 – já havia nadado 21s38 e 21s32 (tempo do tricampeonato mundial em Barcelona/2013). Antes da prova, eu havia dito para o pessoal que estaria contente se nadasse 21s64, tempo abaixo do de Sullivan… Mas foi bacana demais. Legal nadar de novo para 21s3, terceira vez que faço isso. E acho que hoje até poderia ter saído um 21s2, se o bloco de partida fosse melhor, se tivéssemos as mesmas condições do Mundial.” Cielo disse ainda que foi bom fazer dobradinha com Fratus com os dois melhores tempos do mundo, no Maria Lenk, mas observou que os brasileiros devem querer ampliar as conquistas para as competições internacionais. “Com esse tempo eu venceria de novo o Mundial, ele empataria em segundo. É isso que conta.” Cielo voltou a dizer que a participação no Pan-Pacífico é dúvida na sua cabeça numa temporada em que vai priorizar o Mundial em Piscina Curta (25 metros), em dezembro, em Doha, no Catar. O nadador criticou a qualidade dos blocos da piscina do Ibirapuera, quando questionado se o seu tempo poderia ser melhor. Disse que a piscina em si tem água bem tratada, azulejos novos….e que “o buraco onde está a água está muito bom”. Mas observou que a dificuldade que a natação do Brasil enfrenta é não ter nenhum parque aquático coberto. “Seria uma forma de a gente controlar a performance, não depender de chuva de frio…. São meses de treinamento que uma coisa dessas pode atrapalhar. E você não sabe se o treinamento funcionou ou se a adversidade atrapalhou. Hoje acho que, com certeza, eu poderia fazer algo abaixo. Então, vou acreditar nisso…Que posso fazer um tempo menor… Os 21s21 não saiu ainda, mas vamos esperar, tenho mais alguns anos aí para fazer.”
Cesar Cielo 'carequinha' em campanha para crianças com câncer
Cesar Cielo ‘carequinha’ em campanha para crianças com câncer
Homenagem aos carequinhas Cesar Cielo usou uma touca na cor da pele para simular um visual careca e chamar a atenção para a causa do combate ao câncer infantil, defendida pelo GRAACC – Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer. A touca usada por Cielo na ‘Prova de Superação’ será leiloada. Mais toucas foram produzidas e poderão ser adquiridas pelo site Ídolos Eternos. “Eu fui sortudo mesmo… Eles que me escolheram para fazer parte da campanha, que é global. Muito bacana essa iniciativa. Essa vitória não foi para mim não… Quero agradecer ao pessoal do GRAACC, que me deu a oportunidade de parecer um carequinha (sobre a touca cor da pele que usou, simulando a cabeça de crianças que fazem quimioterapia). Muito bacana a campanha e queria mandar um beijo para as crianças. E espero que com um super tempo desses a touca, que vai ser leiloada, possa valer um pouquinho mais! Estou fazendo a minha parte e estou muito contente por ter sido um dos selecionados para a campanha.” Provas que Cielo ainda vai nadar Dia 25/4, sexta-feira 50 m borboleta revezamento 4×100 m livre Dia 26/4, sábado 100 m livre revezamento 4×100 m medley Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, e tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios.

Cesar Cielo vence na estreia no Maria Lenk com revezamento da Fiat/Minas

Cesar Cielo abre revezamento em 21s71
Cesar Cielo abre revezamento em 21s71
O velocista ajudou seu clube a conquistar o ouro no 4×50 m, prova que abriu com 21s71, seu melhor tempo no ano São Paulo – O nadador Cesar Cielo, campeão olímpico e tri mundial nos 50 m livre, estreou com vitória no Troféu Maria Lenk, na piscina do Ibirapuera, em São Paulo. Cielo abriu o revezamento 4×50 m livre da Fiat/Minas em 21s71, melhorando sua marca na temporada em três centésimos (21s74), que continua a ser o terceiro tempo do mundo no ano. A Fiat/Minas levou a medalha de ouro no revezamento com Cesar Cielo, Felipe Martins, Fernando Silva e Giovane Constantino, em 1min27s57, com o Pinheiros em segundo (1min28s17) e a Unisanta em terceiro (1min29s37). “Foi bom para quebrar o gelo, dividir um pouco a responsabilidade com os amigos, mas poderia ter sido um pouco melhor. Vamos ver se até quarta-feira (quando nada os 50 m livre individual) eu consigo encaixar uma prova melhor, vamos ver se consigo aprender a sair desses blocos, que são difíceis para a gente, e ver se consigo nadar um pouco mais rápido”, disse Cielo. “Os caras (do Minas Tênis) seguraram o revezamento, o que também não foi fácil, com o Pinheiros tendo finalistas mundiais e olímpicos como o Bruno Fratus, o Marcelo Chieriguini. Estou muito contente”, completou, elogiando os companheiros. Disse que foi “apenas a primeira nadada”, que vai ver o vídeo e o que é possível melhorar. Elogiou a piscina – disse que a água está bem clara e transparente e com boa temperatura -, apesar dos blocos ruins, e comentou que todos vão ter de vencer o frio de São Paulo – “as mãos ficam um pouco frias”. Observou que não está muito preocupado com seus resultados individuais e sim com o Minas Tênis, justificando as seis provas que vai nadar – os 50 m e os 100 m no estilo livre, os 50 m borboleta, os revezamentos 4×100 m livre e 4×100 m medley, além do 4×50 m livre. “Minha meta individual é o Mundial em Piscina Curta de Doha, em dezembro. O objetivo da temporada é chegar bem lá. Eu só não nadei os 100 m borboleta aqui porque atrapalharia o meu programa de provas. Tivemos alguns desfalques – a Femke e o Henrique Martins ficaram doentes -, então vou tentar nadar bem os revezamentos, que mostram a força da equipe, e gostaria de ver vários nadadores da Fiat/Minas na seleção, algo que também mostra a força da equipe.” As provas que Cielo vai nadar no Maria Lenk Dia 23/4, quarta-feira 50 m livre Dia 25/4, sexta-feira 50 m borboleta revezamento 4×100 m livre Dia 26/4, sábado 100 m livre revezamento 4×100 m medley Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, e tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios.

Cesar Cielo nada o Maria Lenk por título para a Fiat/Minas

O campeão olímpico e mundial está inscrito em seis provas e disse que vai nadar “para fazer as melhores provas” e quer ver atletas do seu clube na seleção
Cesar Cielo pronto para estreia pelo Minas em competição nacional
Cesar Cielo pronto para estreia pelo Minas em competição nacional
São Paulo – O 54º Troféu Maria Lenk, de segunda a sábado (21 a 26/4), marca a estreia de Cesar Cielo, tricampeão mundial e campeão olímpico dos 50 m livre, na Fiat/Minas, sua equipe desde março. Cielo nadou o Metropolitano mineiro, na piscina do clube, em Belo Horizonte, em março, para quebrar o gelo, mas o Maria Lenk será a sua primeira competição nacional pelo novo time. Cielo está inscrito na competição para nadar seis provas: os 50 m livre, os 50 m borboleta, os 100 m livre e os três revezamentos – 4×50 m livre, 4×100 m livre e 4×100 m medley. As eliminatórias, no Parque Aquático do Ibirapuera, em São Paulo, começam às 9h30, com finais às 17 horas. “Nada de expectativa individual muito grande… Vou nadar pela Fiat/Minas. Eu conversei com o Scott (o técnico australiano Scott Volkers) e definimos que vamos nadar para fazer as melhores provas, ajudar o clube a manter o título de campeão e colocar o maior número possível de atletas na seleção brasileira”, afirmou Cielo. Este ano, o Troféu Maria Lenk será a última das três seletivas para o Pan-Pacífico, de 21 a 25 de agosto, em Gold Coast, na Austrália, e ainda a penúltima eliminatória para os II Jogos da Juventude, em agosto, na China. Cielo disputou duas competições na temporada. Em fevereiro, no Grand Prix de Orlando (EUA), ficou com a medalha de prata nos 50 m livre (22s15) e com o ouro nos 100 m livre (49s28). Em março, venceu as três provas que disputou no Metropolitano de Infantil a Sênior, em Belo Horizonte: os 100 m livre e os 50 m borboleta, na sexta-feira (21/3), e os 50 m livre, no sábado (22/3), com 21s74, então o melhor tempo do mundo no ano – hoje, o terceiro do ranking mundial. Cielo está morando em Belo Horizonte desde o dia 12 de março e diz que tem tentado fazer a maior parte das coisas a pé, em função da proximidade entre sua casa e o clube. “Depois do Mundial eu já estava pensando que precisava de um time grande, com essa super estrutura do Minas e aí… foi só dar continuidade… Hoje, sei que posso nadar bem qualquer prova, me sinto confortável e estava precisando ver o pessoalzinho na piscina…” Cesar Cielo é tricampeão mundial dos 50 m livre, além de recordista mundial (20s91, no Open de 2009), recordista do Campeonato Mundial (21s08, em Roma/2009) e recordista olímpico (21s30, em Pequim/2008) e dono do melhor tempo de todos os tempos na prova na era pós-maiô (21s32, em Barcelona/2013). Também é campeão olímpico na distância (Pequim/2008) e medalhista de bronze (Londres/2012). É campeão mundial, recordista mundial (46s91) e medalhista de bronze nos 100 m livre, além de bicampeão mundial dos 50 m borboleta.
No Metropolitano, nadou os 50 m em 21s74, hoje o 3º tempo do mundo
No Metropolitano, nadou os 50 m em 21s74, hoje o 3º tempo do mundo
As provas que vai nadar no Maria Lenk Dia 21/4, segunda-feira Revezamento 4×50 m livre Dia 23/4, quarta-feira 50 m livre Dia 25/4, sexta-feira 50 m borboleta revezamento 4×100 m livre Dia 26/4, sábado 100 m livre revezamento 4×100 m medley Cesar Cielo é atleta da Fiat/Minas, equipe de natação do Minas Tênis Clube, e tem patrocínio de Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Fiat e Correios.