Cesar Cielo vence duelo com Adam Brown por 2 a 1 no GP de Minneapolis

O brasileiro ganhou nas 100 jardas borboleta e 50 livre, o inglês levou, na ‘unha’, as 100 livre (41s90 a 41s89); agora o foco é ser rápido no Open, em dezembro
Cesar Cielo leva prata nas 100 jardas livre mas dá show na provas de velocidade em duelo com Adam Brown
Cesar Cielo leva prata nas 100 jardas livre mas dá show na provas de velocidade em duelo com Adam Brown
São Paulo – Cesar Cielo e o inglês Adam Brown duelaram nos três dias do Grand Prix de Minneapolis, nos Estados Unidos, a primeira prova do brasileiro após a conquista do tricampeonato mundial dos 50 m livre, com recorde na era pós-maiôs (21s32), e o ouro nos 50 m borboleta, em agosto. Cielo ficou com a prata nas 100 jardas livre, neste sábado (16/11), com 41s90. Adam Brown, que nada pela New York Athletic, levou o ouro com 41s89. Uma diferença mínima separou os nadadores no último dia de competições. Mas Cielo venceu o duelo que os dois travaram no GP de Minneapolis por 2×1. Ganhou as 100 jardas borboleta, na quinta-feira (14/11), e as 50 jardas livre, na sexta (15/11), com o britânico Adam Brown em segundo nas duas provas. A medalha de bronze nas 100 jardas livre, no sábado (16/11), ficou com Yannick Agnel, bem atrás de Cielo e Brown, com 42s63. O campeão olímpico Cielo deixa o GP de Minneapolis com um balanço bem positivo porque fez todos os tempos que tinha definido para uma performance boa ainda em São Paulo, antes da viagem. “Um 41s99 nas 100 jardas livre já estaria muito bom”, confirma Cielo. Assim como queria nadar as 50 jardas livre na casa dos 18 segundos. E nadou. O campeão olímpico venceu as 50 jardas livre com superioridade em relação aos adversários: 18s83 (com Adam Brown em segundo, em 19s15, e o brasileiro Bruno Fratus em terceiro, em 19s48). Cielo foi o único a nadar na casa dos 18 segundos, pela 11ª vez na vida na piscina em jardas – é dono do recorde mundial da prova, com 18s47, marca que sobreviveu a era dos maiôs tecnológicos e que estabeleceu quando nadou pela Universidade de Auburn. Desde 2010, Cielo não nadava uma competição em jardas (a piscina tem o equivalente a 22,86 metros). Nas 100 jardas borboleta Cielo dominou a disputa e venceu com 46s19 – Brown fez 46s66, em segundo (Dan Lester foi o terceiro, com 46s95). Cielo passa mais 15 dias treinando nos Estados Unidos, antes do retorno ao Brasil para a disputa do XXIII Campeonato Brasileiro Sênior de Natação – Troféu Prof. Daltely Guimarães – e IX Torneio Open de Natação (piscina de 50 metros), de 18 a 21 de dezembro, em Porto Alegre (RS). Cielo mostrou na competição americana que o seu objetivo de fechar o ano nadando os 50 m livre bem rápido, em seu último desafio do ano, é viável. “Não estou vendo porque não nadar de novo para 21s3”, observa Cesar Cielo, referindo-se ao tempo com o qual ganhou a medalha de ouro nos 50 m livre em Barcelona. Cielo observou que a motivação e o apronto não serão os mesmos do que para o Mundial, mas os joelhos, operados há um ano, estão bem, totalmente recuperados, se sente forte fisicamente e treinando duro, com o técnico Scott Goodrich, desde a volta das férias. “Acho que dá sim para ser rápido no Open, dia 21 de dezembro.” Cesar Cielo tem patrocínio da Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Audi e Correios.  

Cesar Cielo vence as 50 jardas livre na volta do Mundial

O velocista mostrou que está em boa forma para o Open, em dezembro; foi a 11ª vez que nadou a prova, em que é o recordista mundial, na casa dos 18 segundos  
Cesar Cielo: recorde mundial nos 50 livre (18s47) sobreviveu a era dos maiôs
Cesar Cielo: recorde mundial nos 50 livre (18s47) sobreviveu a era dos maiôs 
São Paulo – Cesar Cielo mostrou que está em boa forma na sua volta às competições após o tricampeonato mundial dos 50 m livre em Barcelona, com o recorde na era pós-maiôs (21s32), e ainda a medalha de ouro nos 50 m borboleta. Cielo venceu os 50 jardas livre do Grand Prix de Minneapolis, nesta sexta-feira (15/11), com 18s83, com o inglês Adam Brown em segundo (19s15) e o brasileiro Bruno Fratus (19s48) em terceiro. Cielo foi o único a nadar na casa dos 18 segundos, pela 11ª vez na vida na piscina em jardas – é dono do recorde mundial da prova, com 18s47, marca que sobreviveu a era dos maiôs tecnológicos e que estabeleceu quando nadou pela Universidade de Auburn. Desde 2010, Cielo não nadava uma competição em jardas (a piscina tem o equivalente a 22,86 metros). “Eu gostaria muito de nadar na casa dos 18 segundos e deu tudo certo. Se eu fizesse um 18s99 já estaria ótimo. Foi ainda melhor e muito legal ver 18 segundos no placar”, afirmou. Neste sábado (16/11), Cielo fecha a sua participação no GP de Minneapolis nadando as 100 jardas livre. “Um 41s99 nos 100 jardas estaria bom.” Na quinta-feira (14/11), primeiro dia do torneio, venceu os 100 jardas borboleta, com o tempo de 46s19, seguido por Adam Brown, da Grã-Bretanha, com 46s66, e Dan Lester, da Austrália, em terceiro, com 46s95. “Não tinha ideia do que ia sair”, afirmou. Depois desse GP, Cielo passa mais 15 dias treinando nos Estados Unidos, antes do retorno ao Brasil para a disputa do XXIII Campeonato Brasileiro Sênior de Natação – Troféu Prof. Daltely Guimarães – e IX Torneio Open de Natação (piscina de 50 metros), de 18 a 21 de dezembro, em Porto Alegre (RS). “O objetivo para fechar o ano é tentar nadar melhor do que Barcelona. O joelho está mais firme, estou bem fisicamente, a diferença realmente é a motivação e o apronto para a competição. Pode faltar um pouco, não dar aquela instigada. Mas não estou vendo porque não nadar de novo para 21s3”, afirmou Cesar Cielo, referindo-se ao tempo com o qual ganhou a medalha de ouro nos 50 m livre em Barcelona. Cesar Cielo tem patrocínio da Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Audi e Correios.

Cesar Cielo faz sua primeira competição após tri mundial

No GP de Minneapolis, uma volta diferente às disputas para relembrar os tempos em que foi recordista mundial nos 50 jardas, como universitário, e ajustar detalhes da técnica
Cesar Cielo e o desafio da volta no GP de Minneapolis
Cesar Cielo e o desafio da volta no GP de Minneapolis
São Paulo – Cesar Cielo disputa sua primeira competição após a conquista do tricampeonato mundial nos 50 m livre, em Barcelona, de quinta a sábado (14 a 16/11), no Centro Aquático da Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos. O Grand Prix de Minnesota será seletivo para o NCAA (o campeonato universitário norte-americano) e disputado em jardas. Cielo – que deixou Barcelona com duas medalhas de ouro, nos 50 m borboleta, e nos 50 m livre, com a melhor marca do mundo de todos os tempos na era pós-trajes (21s32) – escolheu um torneio diferente para a sua volta. Desde 2010 não nada numa piscina de jardas (22,86 m), mas ainda hoje é o recordista mundial dos 50 livre (18s47). Cielo vai nadar três provas em Minneapolis: os 100 borboleta no primeiro dia do programa de disputas (14/11), os 50 livre, no segundo dia (15/11), e os 100 livre no terceiro (16/11). “Nossa, a última vez em que nadei em jardas, polido e raspado, preparado para a competição, pela Universidade de Auburn, foi em março de 2008, quando fiz os recordes mundiais de 50 jardas, com 18s47, e 100 jardas, com 40s91, que caiu – o Morozov (o russo Vladimir Morozov) bateu esse ano. Agora, o dos 50 é um recorde que eu fiz antes da era dos maiôs tecnológicos. Ele sobreviveu a geração dos maiôs e ao Morozov. Ninguém conseguiu bater. Com os maiôs, eles nadaram para 18s50 e alguma coisa. Eu tinha certeza que o Nathan Adrian ia bater – estava em ascensão, mais os maiôs… É um dos meus recordes que eu mais gosto”, comenta Cesar Cielo. Depois desse GP, Cielo passa mais 15 dias treinando nos Estados Unidos, antes do retorno ao Brasil para a disputa do XXIII Campeonato Brasileiro Sênior de Natação – Troféu Prof. Daltely Guimarães – e IX Torneio Open de Natação (piscina de 50 metros), de 18 a 21 de dezembro, em Porto Alegre (RS). Cielo avisou que nessa competição de Minneapolis, conhecida por ser numa das melhores piscinas de jardas dos Estados Unidos e por reunir 700 atletas, nadando as eliminatórias numa sequência alucinante de séries – as vezes em duas piscinas ou com a piscina dividida ao meio, com provas correndo ao mesmo tempo – , não vai chegar nem perto dos recordes que conseguiu quando nadava por Auburn. “Estou esperando 18s99 nos 50 jardas, 41s99 nos 100 jardas e nos 100 borboleta não faço ideia do que vai sair”, apostou Cielo.
Cesar Cielo: recorde mundial nos 50 livre (18s47) sobreviveu a era dos maiôs
Cesar Cielo: recorde mundial nos 50 livre (18s47) sobreviveu a era dos maiôs
“Eu gostaria muito de nadar na casa dos 18 segundos. Se eu fizer um 18s99 está ótimo. Seria, mais ou menos, um 21 segundos baixinho – acho que é algo possível… Ia ser muito legal ver 18 segundos no placar”, afirmou. Cielo nadou as 50 jardas livre na casa dos 18 segundos dez vezes na vida. “Eu me lembro que juntando eliminatórias e final nadei quatro vezes e duas vezes para 18 segundos no mesmo dia. Em 2007, nadei quatro vezes para 18 segundos e em 2008 também, no 4×50 livre e nos 50 livre, por Auburn. É muito legal.” Para Cielo, o GP vai servir para marcar uma volta diferente às competições e ainda como teste para detalhes que tem treinado depois que voltou de férias do Mundial. O campeão olímpico e mundial explica que a piscina em jardas exige perfeição nos detalhes. “O que mais ‘fiquei atrás’ em Barcelona foi nos detalhes, falo da explosão de saída, da transição do submerso para o nado… Porque no nado em si deu para ver que está bom porque ganhei o Mundial. Agora é investir na técnica dos detalhes mesmo e ver o que consigo fazer”, acentuou. E quem serão os adversários dessa vez? Cielo explicou que como os organizadores aceitam inscrições até a última hora para os nadadores que estão entre os dez do mundo em cada prova o balizamento final pode mudar, mas devem nadar os estrangeiros que moram nos Estados Unidos e universitários. “Vale índice para o NCAA e a piscina de Minnesota é, indiscutivelmente, a melhor dos Estados Unidos. É a melhor piscina em jardas que tem – eu fui campeão nadando lá em 2007. É um show para o público de tão rápida que é a competição”, descreveu. Em 2007, Cielo teve a companhia de seu atual técnico, Scott Goodrich, nos revezamentos 4 x 50 livre e 4 x 50 medley de Auburn. Cesar Cielo tem patrocínio da Gatorade, adidas, Embratel, Furnas, Audi e Correios.