Cielo vai focar preparação na defesa dos títulos mundiais dos 50 m livre e borboleta

Apesar da prata no estilo borboleta no Maria Lenk, mas com o índice da Fina, ele vai a Barcelona animado com a possibilidade de duplo pódio com Nicholas Santos Rio de Janeiro – O velocista Cesar Cielo, do Clube de Campo de Piracicaba, ficou com a medalha de prata nos 50 m borboleta (23s16), no Troféu Maria Lenk, nesta sexta-feira (26/4) e não chegou ao forte índice para o Mundial, de 23s11, exigido pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) para a prova. Mas, como já está classificado para a disputa dos 50 m livre (com o segundo melhor tempo do mundo no ano: 21s57) e nadou abaixo da marca fixada pela Fina, de 23s96, poderá também competir nos 50 m borboleta em Barcelona se nenhum outro nadador brasileiro fizer o índice CBDA no Brasileiro de Inverno. A medalha de ouro ficou com Nicholas Santos (23s06) e o bronze com Guilherme Roth e Felipe de Souza Martins, empatados, com 23s94. Cielo, que passou por cirurgia nos dois joelhos há seis meses, fez um balanço positivo da competição. Afinal, o seu tempo nos 50 m borboleta é o quinto do mundo este ano. Ele foi o campeão mundial dos 50 m borboleta em Xangai/2011, com 23s10. “Fiz o que tinha de fazer neste campeonato. Vim aqui, testei os joelhos e consegui nadar bem. Agora, é treinar forte para o Mundial e pensar na defesa dos dois títulos”, disse Cielo, que quer principalmente o tricampeonato dos 50 m livre no Mundial de Barcelona, a partir de 24 de julho. Sobre a prova desta sexta-feira, comentou que ainda sofre na partida. “Foi uma prova boa. A saída me matou de novo, saí bem atrás do Nicholas e tive de buscar no braço mesmo. Cheguei bem pertinho dele. Estou vendo aí uma janela para melhorar para o Mundial. Dá para tirar uns 2, 3 décimos de segundo nos primeiros 15 metros. Tirando 2 ou 3 décimos, é bem empolgante imaginar o que a gente pode projetar para o Mundial. Estou feliz pelo Nicholas”, disse Cielo. Acrescentou que não treinou o borboleta este ano porque o movimento de flexão das pernas é um pouco maior do que o do livre. “Mesmo assim, foi bom, meu tempo é o quinto do mundo este ano.” Nicholas fez o segundo tempo do ano (23s06). Os outros mais bem posicionados no ranking são o francês Fred Bousquet (23s00), o sul-africano Roland Schoeman (23s11) e o francês Florent Manadou (23s14). “Esta prova é super vitoriosa. Fui campeão em 2011 em piscina longa e o Nicholas foi campeão mundial em 2012, em piscina curta. Então, tem aí os dois atuais campeões do mundo”, comentou. “Estou muito contente por o Nicholas ter conseguido o índice. Ele é um cara que merece estar sempre na seleção, é campeão mundial. Vamos ver se conseguimos uma dobradinha no Mundial”, acrescentou. Cesar Cielo agora volta sua preparação para o Mundial – vai se concentrar na busca pelo tricampeonato dos 50 m livre. Em maio, fará algumas semanas de treinos nos Estados Unidos, em Phoenix, Arizona, e competirá no Grand Prix de Santa Clara, na Califórnia, de 31 de maio a 2 de junho. Depois, vai disputar o Open de Paris, no início de julho – “um cara a cara com o Manadou, uma semana antes do Mundial, um grande desafio”, afirmou Cielo. Depois da competição em Paris, Cielo permanece na Europa, onde vai se reunir à seleção brasileira por volta do dia 14. Cesar Cielo é atleta do Clube de Campo de Piracicaba e tem patrocínio da Embratel, Gatorade, Audi e Correios.  
Trofeu Maria Lenk/Natacao
Cesar Cielo faz balanço positivo do Maria Lenk: ‘Fiz o que podia na competição. Estou feliz!”

Cielo leva ouro no Maria Lenk e garante vaga no Mundial de Barcelona nos 50 m livre

O brasileiro, campeão olímpico e mundial, fez 21s57 e está na seleção: “Agora, vou brigar entre os melhores do mundo pelo tri mundial”
Cesar Cielo: ouro, índice para o Mundial e 2º tempo do ano no Maria Lenk
Cesar Cielo: ouro, índice para o Mundial e 2º tempo do ano no Maria Lenk
Rio de Janeiro – O campeão olímpico e mundial dos 50 m livre, Cesar Cielo, do Clube de Campo de Piracicaba, venceu os 50 m livre no Troféu Maria Lenk, nesta quarta-feira (24/4), com 21s57. Levou a medalha de ouro e garantiu vaga na seleção brasileira que vai ao Mundial de Barcelona ao superar o índice (22s30) e ainda confirmou a posição de segundo do ranking mundial, a apenas dois centésimos de segundo do francês Florent Manadou (21s55). Cielo ainda melhorou em um centésimo de segundo o tempo que havia feito nas eliminatórias da manhã (21s58). A segunda vaga da seleção para o Mundial ficou com Marcelo Chiereghini (21s88), que treina em Auburn com Brett Hawke, como já fez Cielo. Bruno Fratus, com 21s92, ficou com a medalha de bronze. “Estou muito contente. Baixei um pouquinho o tempo da manhã. E um pouquinho mesmo, um centésimo… Estou muito contente por ter confirmado a vaga para o Mundial voltando de cirurgia. Quero agradecer aos meus patrocinadores, que acreditaram em mim: Embratel, Gatorade, Audi e Correios. Prometi que voltaria ao melhor da minha forma e deu tudo certo. Muito obrigado mesmo. Espero que eu esteja conseguindo superar as expectativas e, se Deus quiser, a gente vai junto para o Mundial tentar o tricampeonato”, disse Cielo. Observou que ainda não está 100%, que ainda sofre um pouquinho na saída e a ondulação não está tão fluida por causa da cirurgia nos dois joelhos. “Estava com receio, não sabia como iria me comportar diante do Marcelo e do Bruno. Sabia que iriam brigar pela vaga. O Marcelo não foi surpresa. Está nadando bem já há algum tempo. Os 50 m livre são a prova do Brasil. Com certeza, vamos tentar colocar os dois na final do Mundial”, acrescentou Cielo, que está treinando com o técnico Scott Goodrich. “Estou contente por ter a chance de buscar o tricampeonato mundial. Tem uma janela boa para eu melhorar agora, forçar um pouco mais o treinamento, os joelhos. Dá um alívio muito grande saber que readquiri a forma do ano passado, mesmo tendo treinado menos. Vou brigar entre os melhores do mundo pelo tri mundial.” Cielo nada os 50 m borboleta no Troféu Maria Lenk nesta sexta-feira (26/4). Não está inscrito nos 100 m livre. Cesar Cielo é atleta do Clube de Campo de Piracicaba e tem patrocínio da Embratel, Gatorade, Audi e Correios.

Cielo faz 2º melhor tempo do mundo no ano nas eliminatórias dos 50 m livre no Maria Lenk

O campeão olímpico e mundial da prova, do Clube de Campo de Piracicaba, fez 21s58 e foi o mais rápido nas séries da manhã; volta a nadar à tarde, na decisão de medalhas Rio de janeiro – O campeão olímpico e mundial dos 50 m livre, Cesar Cielo, do Clube de Campo de Piracicaba, foi o mais rápido nas eliminatórias do Troféu Maria Lenk, nesta manhã de quarta-feira (24/4), no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio: 21s58. O tempo é o segundo melhor do mundo este ano e bem abaixo do índice exigido para o Mundial de Barcelona (22s33). Mas Cielo ainda nada as finais à tarde, a partir das 17 horas. O segundo melhor tempo das eliminatórias foi de Bruno Fratus, com 21s98, e o terceiro de Alan Vitória, com 22s21. “Esse foi o tempo que eu fiz na final olímpica  (levou o bronze em Londres, com 21s59), e estou bem contente. Seis meses e meio depois da cirurgia nos dois joelhos, mesmo não tendo a preparação que eu gostaria de ter tido para este campeonato aqui, estou praticamente de volta à minha melhor forma”, disse Cielo. “O meu maior adversário eram os meus joelhos. Eu não sabia como reagiria após seis meses de recuperação. Coisas que me ajudaram muito foi assistir ao Nadal jogando e ganhando tudo de novo, ver aquela imagem do Ronaldo caído em campo e depois voltando a jogar o melhor futebol da vida dele… Esses dois caras me inspiraram muito e me fizeram pensar, todos os dias, numa evolução, na melhora, em ir levando os treinos…. Tinha de me concentrar para fazer um salto de 30 centímetros que fosse, já podia prever o tempo porque os joelhos doíam quando mudava o clima… Então, chegar aqui e nadar nesse nível, no meu limite, fazer o segundo melhor tempo do mundo e ainda ter mais uma chance para, quem sabe, passar a ser o primeiro de novo, é muito bom”, observou Cielo. O nadador ainda elogiou o trabalho do técnico norte-americano Scott Goodrich. “Ele tomou a frente do meu trabalho de um jeito muito corajoso. Vem dando tudo certo. Vamos começar este ciclo olímpico com o pé direito…. Mas calma, ainda tem a final de hoje à noite….”, completou Cielo. Clube de Campo de Piracicaba Cielo, que em 2012 disputou o Troféu Maria Lenk pelo Flamengo, este ano nada pelo Clube de Campo de Piracicaba, que defendeu dos 12 aos 16 anos, quando ainda era um garoto. “Estou voltando. Estamos juntos novamente, colocamos a conversa em dia… Aproveitando o momento de não ter de nadar revezamento, nadar só as minhas provas mesmo, que é o que eu precisava neste começo de ano”, disse Cielo. O técnico Reinaldo Rosa, do Clube de Campo de Piracicaba, que treinou Cielo quando ele tinha 14 anos, se emocionou ao ouvir, na apresentação da prova, o locutor dizer ‘Cesar Cielo, do Clube de Campo de Piracicaba’. “Foi uma emoção muito grande ver um atleta na raia 4, o Cesar, pelo clube que representou tantas vezes. Agora volto a ouvir isso e com ele neste nível.” Embora tenha conhecido Cielo quando “era um menino magrinho e compridinho, de estrutura física frágil”, Reinaldo disse que uma coisa não mudou no atleta que chegou a ser campeão olímpico nas provas de velocidade, as de que sempre gostou. “Ele sempre foi disciplinado para treinar, nunca se atrasou, chegava no horário, seguia toda rotina. A gente percebia a determinação. E não gostava de perder. Quando perdia, chorava”, disse Reinaldo. O técnico ainda observou que os meninos do Clube de Campo de Piracicaba estão empolgados pelo fato de Cielo estar competindo pela cidade. Cesar Cielo é atleta do Clube de Campo de Piracicaba e tem patrocínio da Embratel, Gatorade, Audi e Correios.

Para Cesar Cielo, foco no Maria Lenk é a vaga nos 50 m livre para o Mundial

O velocista, que defende o Clube de Campo de Piracicaba, briga por um lugar na seleção brasileira que vai a Barcelona
Cesar Cielo: temporada de 2013, primeira do ciclo olimpico
  Rio de Janeiro – O velocista Cesar Cielo, campeão olímpico, bicampeão mundial e recordista mundial dos 50 m livre, disputa a prova no Troféu Maria Lenk por vaga na seleção brasileira que vai para o Mundial de Desportos Aquáticos. Cielo nada os 50 m livre nesta quarta-feira (24/4), na piscina do Parque Aquático Maria Lenk, em um programa de provas que terá eliminatórias a partir das 10 horas e finais a partir das 17 horas. Seu objetivo é obter a marca estabelecida para garantir uma das duas vagas do Brasil nos 50 m livre na seleção brasileira que vai ao Mundial de Barcelona, na Espanha, de 24 de julho a 4 de agosto. No Maria Lenk, Cielo vai defender o Clube de Campo de Piracicaba, interior de São Paulo – já estudou na cidade e nadou pelo clube, por dois anos, na adolescência. O índice nos 50 m livre é de 22s33. Cada país terá direito a ter dois nadadores por prova. A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) adotou a tabela A da Fina, a federação internacional. Pela regra para a temporada, o Troféu Maria Lenk é praticamente seletiva única para o Mundial. Quem conseguir os índices, garante vaga na seleção. Apenas para as provas individuais que não tiverem as duas vagas preenchidas, o Brasileiro Júnior e Sênior de Inverno, em Curitiba, de 14 a 19 de maio, serão uma segunda seletiva. Cesar Cielo disse que o foco total é no índice e na vaga, antes mesmo de pensar em ganhar o Maria Lenk e, claro, de pensar no tricampeonato dos 50 m livre no Mundial – foi campeão em Roma/2009 e em Xangai/2011. “Vou dar um passo de cada vez. Estou vindo de um processo de recuperação dos dois joelhos, inicialmente com bastante controle. Teve um período em que pude exigir apenas até um certo ponto nos treinamentos – e depois, um pouco mais forte, agressivo, porque eu já estava mais preparado, e depois o descanso… O objetivo principal é a classificação e, conseguindo isso, a temporada até o Mundial vai ser muito melhor, mais completa, mais forte. Não adianta pensar lá na frente em medalha para o Mundial se eu ainda não tenho o índice. Quero fazer o índice, terminar a prova classificado.” Este ano, Cielo nadou uma única vez os 50 m livre, no Southern Zone Sectional, em Fortlaudardale, nos Estados Unidos, em 14 de março, ainda ‘pesado’ em função da preparação para o Maria Lenk (fez 22s20). Cesar Cielo ainda nada os 50 m borboleta na sexta-feira (26/4) – o índice para o Mundial nessa prova, que não é olímpica, é equivalente ao quarto tempo do ranking mundial de 2012, de 23s11. Mas Cielo já avisou que sua prioridade será o índice nos 50 m livre. Ciclo olímpico Esta é a primeira temporada do novo ciclo olímpico, entre 2013 e 2016, e, apesar de ainda ter pela frente o Mundial e o Pan de 2015, Cesar Cielo também já pensa em ter a chance de brigar por mais uma medalha olímpica nos 50 m livre, dessa vez no Rio, em 2016 (tem a medalha de ouro ganha em Pequim/2008 e o bronze conquistado em Londres/2012). “Será uma oportunidade única na carreira de qualquer atleta brasileiro a de disputar uma Olimpíada no Brasil, a primeira da América do Sul vai ser aqui na nossa casa. Essa geração acabou sendo sortuda e muito privilegiada. Acho que isso pode dar uma vontade a mais, uma energia extra, que vai além… por podermos representar o Brasil nos Jogos, estando aqui. Acho que temos de visar à melhor campanha dentro de casa, olhando do meu lado e pelo lado da natação. Temos de visar à melhor campanha da história do Brasil em uma Olimpíada”, disse Cielo. Cesar Cielo é atleta do Clube de Campo de Piracicaba e tem patrocínio da Embratel, Gatorade, Audi e Correios.