Cielo é o mais rápido nas eliminatórias dos 50 m borboleta do Mundial

Em Xangai, o campeão mundial e olímpico fez uma boa estreia com o melhor tempo dentre os 16 nadadores que passaram às semifinais da distância: 23s26
São Paulo – Cesar Cielo fez uma boa estreia nos 50 m borboleta no primeiro dia das competições de natação do Mundial de Desportos Aquáticos, na piscina do Centro Oriental de Esportes, em Xangai, China, noite de sábado (23/7) no Brasil. O velocista nadou na sétima e última série da classificação, na raia 4, como dono do melhor tempo do mundo no ano para a prova (22s98, feito no Open de Paris, em junho). Cielo teve um bom tempo de reação e marcou 23s26 – as semifinais dos 50 m borboleta serão neste domingo (24/7), em programa de provas que terá início às 7 horas (horário de Brasília). A final será na segunda-feira (25/7). Cielo nadou as eliminatórias ao lado do francês Fred Bousquet, na raia 5, que obteve o 14º tempo (23s84). As melhores marcas, depois do tempo do brasileiro, ficaram com o australiano Geoff Huegill (23s27) e o francês Florent Manaudou (23s31). Outro australiano que está muito bem colocado no ranking mundial, Matthew Targett, ficou em 8º (23s53). Cesar Cielo ainda nadará os 50 m e os 100 m livre, provas em que é o atual campeão mundial. Cielo, que também é o recordista mundial das duas distâncias, fará as eliminatórias dos 100 m livre na terça-feira e dos 50 m livre na quinta-feira. Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.

Cesar Cielo estreia no Mundial nadando os 50 m borboleta

O velocista, que é campeão e recordista mundial, também entra na competição para defender os seus títulos nos 50 m e 100 m livre em Xangai
São Paulo – Começa a natação no Mundial de Desportos Aquáticos de Xangai (CHI) e o campeão olímpico Cesar Cielo estreia na competição mais importante da temporada nadando os 50 m borboleta na piscina do Shanghai Oriental Sports Complex. Vai ser um bom esquenta para Cielo, que foi a Xangai para defender os títulos mundiais dos 50 m e dos 100 m livre conquistados em Roma, em 2009. Cielo fez a aclimatação com a seleção brasileira em Macau e não parou de treinar, apesar de ter de se preparar, paralelamente, para a audiência na CAS. Agora, quer se concentrar apenas na competição. O programa de provas começa no dia 24, domingo, na China. Mas com a diferença de fuso horário – 11 horas à frente em relação ao de Brasília -, no Brasil as primeiras eliminatórias serão a partir das 22 horas deste sábado (23/7). As semifinais dos 50 m borboleta serão no domingo (24/7) e a final na segunda-feira (25/7), a partir das 7 horas (de Brasília). “Os 50 m borboleta é uma prova nova para mim, em que estou tentando buscar, quem sabe, até uma medalha. Sem muita pretensão, mas também não vou entrar completamente displicente, achando que é uma prova em que não posso estar entre os favoritos”, disse Cielo. O brasileiro tem o melhor tempo do ano no mundo nos 50 m borboleta, obtido em julho, no Open de Paris: 22s98. Nicholas dos Santos, que não está no Mundial, tem a segunda melhor marca dos 50 m borboleta no ranking mundial (23s20), seguido pelos australianos Matt Targett (23s27) e Geoff Huegill (23s28). Cesar Cielo, nadador do Flamengo e do Programa Rumo ao Ouro em 2016 – P.R.O. 16 – é o atual campeão mundial dos 50 m e dos 100 m livre, em piscina longa (Roma/2009) e em piscina curta (Dubai/2010) e tem o desafio de defender seus títulos diante dos mais fortes adversários da natação mundial. “Vou fazer o meu melhor e gostaria muito de defender os meus títulos. Espero que minha performance, o meu melhor, sejam suficientes. Vamos torcer por boas marcas, para entrar no ano olímpico com confiança”, observou Cielo. Cielo também é o recordista mundial das duas distâncias, na era dos trajes tecnológicos (20s91, nos 50 m, e 46s91, nos 100 m). Este ano, seus melhores tempos são os do Open de Paris – 21s66, nos 50 m livre, e 48s26, nos 100 m livre. O Brasil ainda terá a disputa do revezamento 4×100 metros livre no primeiro dia de competições em Xangai. A escalação será feita pelos técnicos da seleção brasileira, mas Cielo espera que o Brasil possa classificar-se para os Jogos Olímpicos de Londres/2012 nas provas coletivas. “Para a seleção, é importante tentarmos classificar os revezamentos para a Olimpíada. Tentar botar todos os revezamentos até o 12º lugar, o que classifica o Brasil para Londres”, ressaltou Cielo, que aposta num bom Mundial para a seleção brasileira. “Individualmente, cada um vai fazer a sua parte, mas temos um time bem forte e espero que a natação brasileira volte de Xangai com mais medalhas do que as que ganhamos em Roma.” Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.

Cesar Cielo disputa Mundial de Xangai

“A verdade prevaleceu e estou virando esta página da minha vida”, afirma o campeão olímpico e mundial
São Paulo – A Corte Arbitral de Esportes – instância máxima de decisões esportivas – reiterou a pena de advertência do Painel da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) no caso do antidoping positivo para Furosemida do nadador Cesar Cielo. O velocista disputa o Mundial de Xangai (CHI), a partir deste sábado – vai defender os seus títulos nos 50 m e 100 m livre e também nadará os 50 m borboleta, além de integrar os revezamentos do Brasil. A decisão da CAS também liberou para competições os nadadores Nicholas dos Santos, companheiro de Cesar Cielo no Programa Rumo ao Ouro em 2016 (P.R.O. 16) e no Flamengo, e Henrique Barbosa. Vinícius Waked deverá cumprir suspensão de um ano. “A verdade prevaleceu e estou virando esta página da minha vida”, disse Cesar Cielo. Cielo, que já havia provado no Painel da CBDA, presidido pelo médico Eduardo De Rose, que a presença da substância furosemida no exame antidoping feito durante o Troféu Maria Lenk, em maio, foi acidental, voltou a comprovar o fato diante dos árbitros da CAS, no último dia 20, em audiência realizada na Universidade de Shesnan, em Xangai. O comunicado divulgado na manhã desta quinta-feira (21/7) explica o caso. Informa que a decisão de advertência tomada pelo Painel da CBDA, divulgada em 1º de julho, foi contestada pela Fina, que propôs uma suspensão de três meses, em 7 de julho. Observa que, com a concordância de todas as partes, a CAS realizou um Painel em regime de urgência e decidiu manter a decisão de advertência para Cesar Cielo, Nicholas dos Santos e Henrique Barbosa e a suspensão, proposta pela Fina, de um ano, para Vinícius Waked. O Painel da CAS foi presidido pelo australiano Alan Sullivan, e formado pelo suíço Olivier Carrad e pelo americano Jeffrey Benz. “O Painel decide rejeitar o apelo da Fina contra Cesar Cielo, Henrique Barbosa e Nicholas dos Santos e confirma a decisão da CBDA referente a eles.” O comunicado ainda explica que a suspensão de um ano imposta a Waked deve-se ao fato de ser o seu segundo caso de resultado positivo. O comunicado ainda informa que, em sua defesa, os atletas apresentaram provas de que a substância Furosemida encontrada no exame antidoping foi fruto de contaminação do suplemento de cafeína usado regularmente sob prescrição. “O Painel da CAS concordou que os atletas foram muito cuidadosos no que fizeram e que o que houve foi apenas um erro”, disse o advogado Haward Jacobs, que defendeu os atletas na CAS. “A explicação do que aconteceu foi aceita porque era verdadeira”, prosseguiu Jacobs. “Os nadadores ficaram muito felizes.”

CESAR CIELO – NOTA

Sobre notificação da CBDA a atletas da seleção brasileira
Quero dar minha posição a respeito de uma notificação de um painel realizado nesta sexta-feira pela CBDA, no Rio de Janeiro, sobre a presença da substância Furosemida, encontrada em alguns atletas da seleção brasileira que disputaram o Troféu Maria Lenk, em maio.
Durante o painel, todos os dados foram levantados e comprovada a presença da substância por meio de contaminação cruzada durante a manipulação de um suplemento (excepcionalmente, isso pode ocorrer, mesmo que observadas normas e protocolos de manipulação sob orientação da Vigilância Sanitária).
Sempre fiz uso desse suplemento e nunca um controle feito anteriormente apresentou problema. Pela segurança que tenho na utilização desse suplemento, creio que este resultado tenha sido um fato isolado. Por causa dessa mesma confiança, outros atletas também fizeram uso do suplemento.
Fato que nos ensina muito.
Durante toda a minha carreira, sempre tive o maior cuidado com todo tipo de medicamento ingerido. Me considero um atleta exemplar neste aspecto. Nunca utilizei nenhum recurso ergogênico ilícito que pudesse favorecer a minha performance.
Acredito que todo mérito de um atleta seja resultado de muito treino, dedicação e seriedade. Tenho a convicção de que todos os resultados que conquistei na minha carreira sigam esses pilares.
Faço controles constantemente – este ano, já fui testado cinco vezes. Fiz, inclusive, teste de sangue na França, durante o Aberto de Paris. Passo por controles periódicos e sou um dos atletas que integram o programa de rastreamento da Fina, o que significa que preciso sempre informar a entidade cada vez que me desloco. Posso ser testado a qualquer momento, em qualquer lugar. São as regras do jogo e eu sempre soube disso.
No dia 26 de abril, quatro dias antes de começar o Troféu Maria Lenk, recebi uma carta da Usada, órgão oficial antidoping dos Estados Unidos, me parabenizando pelos resultados dos testes antidoping realizados em Michigan, durante o Grand Prix.
Em nenhum momento fui imprudente ou negligente ou usei de imperícia. Não uso nenhum tipo de medicamento ou suplemento sem me certificar da segurança de sua utilização. Em qualquer lugar do mundo em que esteja, consulto sempre meu médico e meu pai, que é médico, sobre os componentes de todo medicamento ou suplemento antes de ingeri-los. Sou extremamente cuidadoso com isso e tenho a consciência tranquila de que não fiz nada para melhorar artificialmente meu desempenho.
Pelo respeito, pela confiança depositada em mim e consideração que tenho pelos brasileiros e a comunidade da natação e do esporte, estou esclarecendo a situação.
Cesar Cielo