O campeão olímpico Cesar Cielo é capa da 3ª edição da GQ Brasil

São Paulo – Cesar Cielo, campeão olímpico e mundial, foi escolhido para ser a capa da 3ª edição da GQ Brasil, que chega às bancas neste mês de junho de 2011, a partir do dia 1º. O nadador foi fotografado dentro da piscina do Hotel Unique, em São Paulo, por Maurício Nahas, em uma das raras ‘janelas’ de mídia aberta por Cielo que se prepara, numa exaustiva rotina de treinos, para o Mundial de Xangai. No ensaio da revista, Cesar Cielo abandonou a sunga de treinos e mergulhou na água com um belíssimo smoking, escolhido pelo stylist Thiago Ferraz. Na entrevista que concedeu para o jornalista Wilson Weigl, fala sobre família, carreira e sua personalidade. Entre outras declarações, Cesar afirma: “Todo mundo acha que sou um cara muito, muito sério! Um robô sem vida própria fora da piscina”. Cesar Cielo, nadador do Flamengo, segue treinando com os integrantes do Projeto Rumo ao Ouro em 2016, o P.R.O. 16, sob orientação do técnico Alberto Silva, o Albertinho, para o Mundial de Xangai, em julho. Neste mês de junho segue para Londres com integrantes da seleção brasileira para um período de treinamento no Crystal Palace – onde sertá feita a aclimatação para a Olimpíada de Londres/2012 – e para a disputa do Paris Open. Cesar Cielo é nadador do Flamengo e tem o patrocínio de Avanço, Embratel, Gatorade e Arena.

O campeão olímpico Cesar Cielo é capa da 3ª edição da GQ Brasil

São Paulo – Cesar Cielo, campeão olímpico e mundial, foi escolhido para ser a capa da 3ª edição daGQ Brasil, que chega às bancas neste mês de junho de 2011, a partir do dia 1º. O nadador foi fotografado dentro da piscina do Hotel Unique, em São Paulo, por Maurício Nahas, em uma das raras ‘janelas’ de mídia aberta por Cielo que se prepara, numa exaustiva rotina de treinos, para o Mundial de Xangai.
No ensaio da revista, Cesar Cielo abandonou a sunga de treinos e mergulhou na água com um belíssimo smoking, escolhido pelo stylist Thiago Ferraz. Na entrevista que concedeu para o jornalista Wilson Weigl, fala sobre família, carreira e sua personalidade. Entre outras declarações, Cesar afirma: “Todo mundo acha que sou um cara muito, muito sério! Um robô sem vida própria fora da piscina”.
Cesar Cielo, nadador do Flamengo, segue treinando com os integrantes do Projeto Rumo ao Ouro em 2016, o P.R.O. 16, sob orientação do técnico Alberto Silva, o Albertinho, para o Mundial de Xangai, em julho. Neste mês de junho segue para Londres com integrantes da seleção brasileira para um período de treinamento no Crystal Palace – onde sertá feita a aclimatação para a Olimpíada de Londres/2012 – e para a disputa do Paris Open. Cesar Cielo é nadador do Flamengo e tem o patrocínio de Avanço, Embratel, Gatorade e Arena.

Cielo inova e fecha Maria Lenk nadando borboleta no 4×100 m medley

O campeão olímpico e mundial termina a competição com cinco ouros e uma prata: ´Agora é dar aquela lapidada final e achar a velocidade natural para o Mundial´

Rio de Janeiro – O velocista Cesar Cielo fechou o Troféu Maria Lenk, neste domingo, no Parque Aquático Julio Delamare, no Rio, com mais duas medalhas de ouro. Cielo ganhou os 50 m borboleta (23s39, recorde do campeonato), dividindo o pódio com Nicholas dos Santos (23s60) e Glauber Silva (23s92). Na última prova da competição, levou o ouro com a equipe do Flamengo no revezamento 4×100 m medley. Cielo nadou o estilo borboleta, formando grupo com Leonardo de Deus (costas), Henrique Barbosa (peito) e Nicholas dos Santos (livre). O Flamengo fez 3min37s69, um centésimo à frente do Pinheiros (3min37s70). O Minas Tênis ficou em terceiro (3min38s32). “Foi um tremendo teste para o meu treinamento chegar ao domingo, depois de sete dias de disputas, e fazer o melhor tempo da temporada (nos 50 m borboleta). Estou me aproximando mais no ranking mundial. Está tudo dando certo. É levar um dia de cada vez e tentar melhorar para o Mundial”, disse Cielo. O recorde anterior do Troféu Maria Lenk, que pertencia ao próprio Cielo, era 23s42. “Eu continuo não treinando para o borboleta. Apenas tento usar a força do treinamento da musculação e minha velocidade. E está fluindo bem. Estou contente com o resultado.” Cielo tem índice para nadar os 50 m borboleta no Mundial de Xangai (CHI), de 24 a 31 de julho, além dos 50 m e dos 100 m, ambos no estilo livre. Mas também está escalado para a equipe do 4×100 m livre do Brasil. Dependerá do programa de provas do Mundial e de conversas com a comissão técnica da seleção brasileira para saber se vai nadar o estilo borboleta em Xangai. “Quem sabe aí eu não possa pensar na prova também e na briga por medalhas. Vou priorizar o revezamento do Brasil, mas podemos tentar encaixar um planejamento bacana. Quem sabe, tendo um reserva para nadar as eliminatórias do revezamento, eu possa fazer os 50 m borboleta? Tudo é uma questão de planejamento”, comentou Cielo. O velocista comemorou com os companheiros a vitória do Flamengo no revezamento 4×100 medley. Ele nadou o estilo borboleta para a equipe e Nicholas dos Santos, o livre. “Fechamos bem o Maria Lenk. Queria agradecer ao Nicholas, que conseguiu trocar comigo. Eu quase não dei a chegada, Estava parecendo um caramujo no finalzinho ali, doendo bastante. Revezamento é sempre empolgante”, disse Cielo. Observou que, mesmo com uma equipe menor do que as outras, o Flamengo obteve a terceira colocação (784 pontos), atrás do Fiat/Minas (1.753) e do Pinheiros (1.067). “Fomos terceiros no geral, mas ganhamos ouro nos três revezamentos. É uma equipe que está crescendo, mostrando a força do clube. Parabéns ao grupo. É muito bom sair daqui com a terceira colocação geral numa competição tão forte.” Cinco ouros, uma prata: “Treino que exigiu muito” O Maria Lenk foi positivo para o principal velocista do Brasil. O campeão olímpico e mundial levou a medalha de ouro nos 50 m livre (21s95) e no revezamento 4×50 m livre (que abriu com o melhor tempo do ano no mundo: 21s73). Ainda foi o primeiro nos 50 m borboleta e nos outros dois revezamentos do Flamengo, o 4×100 m livre e o 4×100 m medley. Levou a medalha de prata nos 100 m livre. “Esta competição é parte do meu planejamento para o Mundial. Agora, é dar aquela lapidada e achar a minha velocidade natural. Foram cinco medalhas de ouro e uma de prata em um treino que exigiu muito de mim”, disse Cielo. “Mentalmente, foi um desafio muito bom. Agora, é continuar focado, analisar tudo o que fizemos, discutir com o meu técnico e voltar para o treinamento para o Mundial.” Para o técnico Alberto Silva, o Albertinho, que treina Cielo e comanda o Projeto Rumo ao Ouro em 2016, o P.R.O. 16, os objetivos traçados para a competição foram alcançados. O único que ficou fora foi o resultado dos 100 m. O fato de Cielo ter perdido a medalha de ouro para Bruno Fratus não foi o problema, mas na Tentativa para o Mundial, em abril, Cielo havia nadado a distância em 48s66 (no Maria Lenk fez 49s03). “Nos 50 m livre, ele fez as marcas que a gente pensava. Nos 100 m, pelo que ele nadou nos revezamentos, poderia ter feito algo na casa dos 48 segundos. Está dentro dele. Só não conseguiu tirar. Nos revezamentos, ele passou os primeiros 50 metros, por duas vezes, na casa dos 23s2. Mas não conseguiu se mobilizar para isso momento da disputa dos 100 m. A prova não encaixou, mas ele estava pronto.” O treinamento será retomado imediatamente, no Centro Olímpico, em São Paulo. Serão 11 semanas de trabalho até o Mundial. “Desde o início da temporada estamos visando a resultado lá em Xangai”, completou Albertinho. Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.

Cesar Cielo leva prata nos 100 m livre e ouro no revezamento 4×100 m

O campeão e recordista mundial da distância ainda se classificou para a final dos 50 m borboleta no Troféu Maria Lenk
Rio de Janeiro – O velocista Cesar Cielo ficou com a medalha de prata nos 100 m livre, neste sábado (7/5), na piscina do Júlio Delamare, no penúltimo dia de provas do Troféu Maria Lenk. Cielo fez 49s03 e ficou atrás de Bruno Fratus (48s72) e à frente de Marcos Macedo (49s42). No mesmo programa de provas, Cielo foi o mais rápido nas semifinais dos 50 m borboleta (23s70) e ainda fechou o revezamento 4×100 m livre do Flamengo, que levou o ouro, com 3min17s11. “Nadar pesado não é fácil não. Eu sabia que ia ser assim. Não raspei, não descansei. Estou pagando o preço por estar mais pesado do que os outros. Pesou como se fosse num treino. Nossa, estou bem doído. O final está pesando”, disse Cielo. “Tem dias em que a gente não acorda tão bem. Hoje foi um desses dias. Mas, bola para a frente. Vamos ver o que tem de errado e tentar dar essa lapidada boa para o Mundial”, completou. O Maria Lenk é a última oportunidade para a obtenção de índices para o Mundial de Xangai, de 24 a 31 de julho. Mas como Cielo já tem índice nos 50 m e 100 m livre e nos 50 m borboleta, direcionou sua preparação para o Mundial. Em 2008, também no Maria Lenk, no torneio que era a seletiva olímpica para os Jogos de Pequim, Cielo ficou em terceiro nos 100 m, atrás de Fernando Silva e Nicolas Oliveira. Especialista nos 100 m livre, o ex-nadador Gustavo Borges que estava vendo a competição, observou que “nenhum campeão mundial e recordista mundial de uma prova gosta de perder”. “Mas foi uma prova muito dura. O Cielo está em preparação para o Mundial, enquantro outros atletas estavam buscando o índice”, disse Gustavo. Cielo voltou para a piscina para as semifinais dos 50 m borboleta e foi o mais rápido da prova, com 23s70. Glauber Silva fez 23s92 e Marcos Macedo 24s26. A decisão da prova será neste domingo (8/5), último dia de competições do Maria Lenk, a partir das 10 horas. Cielo ainda vai nadar o revezamento 4×100 m medley com o Flamengo. Na última prova deste sábado (7/5), Cielo fechou o revezamento 4×100 m livre com o Flamengo, formando equipe com Nicholas dos Santos, Ramom Melo e Henrique Rodrigues. A prova colocou Cielo e Bruno Fratus novamente lado a lado, na última passagem, e teve uma chegada emocionante. Mas Cielo venceu com o Flamengo (3min17s11). O Pinheiros ficou com a medalha de prata (3min17s31) e o Fiat/Minas com a de bronze (3min20s26). “O pessoal entregou na frente”, comentou Cielo sobre os seus companheiros de equipe. Questionado sobre o duelo com Fratus no revezamento, observou que “talvez, na hora mais crítica, a experiência tenha contado”. “Hoje cedo, nos 100 m, foi bem difícil. Treinar e competir não é fácil. Vou esperar que, estando mais leve, a minha velocidade natural apareça.” Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.

Cesar Cielo nada eliminatória dos 50 m borboleta em ritmo de treino

Prova tinha 17 nadadores na disputa das 16 vagas das semifinais e não foi preciso nadar forte, nesta sexta-feira, no Maria Lenk; a final dos 100 m livre é neste sábado (7/5)
Rio de Janeiro – Cesar Cielo não precisou nadar forte para conseguir vaga entre os semifinalistas dos 50 metros borboleta. Fez o quinto tempo das eliminatórias da prova (24s98), nesta sexta-feira (6/5), na piscina do Conjunto Júlio Delamare, na quinta etapa de disputas do Troféu Maria Lenk. Cielo ficou atrás de Glauber Silva (24s01), Marcos Macedo (24s47), Henrique Martins (24s71) e Filipe Nunes (24s95). Mas à frente de nomes importantes na prova, como Kaio Márcio, 7º (25s04), e Nicholas dos Santos, 9º (25s17). Ficou fácil explicar as posições e os tempos: a prova tinha 17 nadadores para 16 vagas.
“Passei os primeiros 20 metros no ritmo de prova e os outros 30 metros soltando. Mas todo mundo fez isso. Sabíamos que as vagas eram suficientes para a classificação da maioria. Nas semifinais deste sábado o cenário vai ser bem diferente”, afirmou Cielo.
Cesar Cielo observou que terá uma “etapa puxada” neste sábado (7/5), com três provas, em sequência, num programa de finais que começa às 10 horas. Logo de cara, vai nadar a decisão dos 100 m livre, querendo fazer o melhor tempo do ano. Já se programou para sair da cama antes das 7 horas – quer o corpo ´acordado´. Seu melhor tempo do ano nos 100 m é 48s66, feito na Tentativa para o Mundial, em abril. “Tem a final dos 100 m, que é muito importante; 50 minutos depois, a semi dos 50 m borboleta e depois o revezamento 4×100 m livre do Flamengo. A recuperação entre as provas vai ser fundamental. Quero pensar numa boa final dos 100 m e depois no nosso revezamento.”
Cielo ainda nada o revezamento 4×100 m medley do Flamengo no domingo (8/5). A decisão dos 50 m borboleta também será no último dia de provas do Troféu Maria Lenk. A competição é a última seletiva brasileira para o Mundial de Xangai (CHI), de 24 a 31 de julho. Mas Cielo já tem vaga garantida na seleção brasileira que vai ao Mundial em três provas: 50 m livre, 100 m livre e 50 m borboleta.
Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.

Cesar Cielo quer o corpo ´acordado´ e bom tempo na final dos 100 m livre

O campeão mundial nada a decisão da prova neste sábado (7/5), buscando sua terceira medalha de ouro no Troféu Maria Lenk
Rio de Janeiro – Cesar Cielo, do Flamengo, fez o segundo melhor tempo das semifinais dos 100 m livre, 49s25, nesta sexta-feira (6/5), na piscina do Complexo Júlio Delamare, pelo Troféu Maria Lenk. O tempo foi exatamente o mesmo de Vinícius Waked, do Minas Tênis, seu companheiro do Projeto Rumo ao Ouro em 2016, o P.R.O. 16. O mais rápido das semifinais foi Bruno Fratus, do Pinheiros, que cravou 49s00 na distância. Cielo, de 24 anos, “soltou” no final. “A prova foi bem cedo (primeira prova do programa). Na final, vou acordar um pouco mais cedo. Não quero o meu corpo dormindo”, observou Cielo. A decisão dos 50 m livre também será neste sábado, novamente a primeira prova do programa, a partir das 10 horas. Cielo ainda nada o revezamento 4×100 m livre do Flamengo.
“Fiz uma passagem bacana (23s25 para os primeiros 50 metros) e acho que dá para nadar bem a final, buscar vencer a prova”, disse. Sobre um possível confronto com Bruno Fratus, Cielo afirmou que não veio ao Maria Lenk “para ganhar de alguém”. “Meu objetivo não é esse, mas me preparar para o Mundial de Xangai.” O Mundial na China, principal prova da temporada, será de 24 a 31 de julho. O Maria Lenk é a última seletiva para a formação da equipe brasileira que vai a Xangai, mas Cielo já tem índice para os 50 m livre, os 100 m livre e os 50 m borboleta.
O velocista não escondeu que seu objetivo neste sábado é nadar os 100 m livre na casa dos 48 segundos. “Quero ver se consigo melhorar os 48s66 da Tentativa para o Mundial”, afirmou. Desde 2007, Cielo domina a distância no Maria Lenk. Mas ainda se lembra da única vez em que perdeu a prova, em 2008, quando o Brasileiro foi seletivo para a Olimpíada. Nadou forte demais os 50 m livre, venceu os 50 m borboleta e depois, muito cansado, foi bronze nos 100 m livre.
O ex-nadador Fernando Scherer, o Xuxa, que foi especialista em velocidade, disse que Cielo “é muito técnico”. “Ele nada muito bem, passa forte os primeiros 50 m, sabe bem a dosagem da prova. Pode ter dado uma descansadinha para esta competição, mas isso não conta como polimento. Mesmo pesado, está nadando bem. Podemos esperar um bom Mundial.”
Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.

Cesar Cielo vai à semifinal dos 100 m livre no Maria Lenk

O velocista, que já levou ouro nos 50 m e no 4×50 m livre, com o Flamengo, fez o quarto tempo nas eliminatórias da distância, nesta quinta-feira (5/5)
Rio de Janeiro – O velocista Cesar Cielo fez o quarto tempo nas eliminatórias dos 100 m livre, nesta quinta-feira (5/5), no Parque Aquático Júlio Delamare, no Rio de Janeiro, pelo Troféu Maria Lenk. Cielo marcou 49s30, atrás de Nicholas dos Santos (49s11), companheiro de Flamengo, Bruno Fratus (49s16) e Marcelo Chierighini (49s24). Cielo volta à piscina nesta sexta-feira (6/5), a partir das 10 horas, para as semifinais dos 100 m livre – a final da distância será no sábado (7/5), dia em que Cielo nadará também o 4×100 m livre com a equipe do Flamengo. Ainda disputará as eliminatórias dos 50 m borboleta, nesta sexta-feira (6/5), a partir das 18 horas, e o revezamento 4×100 m medley, no domingo (8/5). “Era só eliminatória, está bom, mas dava para forçar mais. Até que a passagem foi decente (dos primeiros 50 m), mas a prova foi bem aquém do que posso fazer. Ainda estou pesado e é mesmo difícil nadar assim. Nos 50 metros é mais fácil, exige menos. Nos 100 metros, a dificuldade é maior. Vamos tentar forçar e ficar numa boa posição para ganhar a final”, afirmou Cielo. O seu melhor tempo nos 100 m este ano é 48s66, feito na Tentativa para o Mundial, dia 20 de abril, no Rio. Cielo venceu o multicampeão olímpico Michael Phelps na distância no GP de Michigan, no dia 9 de abril. Cielo já tem duas medalhas de ouro na competição. Ganhou os 50 m livre, com 21s95, e fez o melhor tempo do ano na prova mais rápida da natação ao abrir o revezamento 4×50 m livre da equipe do Flamengo, com 21s73. O grupo rubro-negro também levou o ouro na prova, com 1min28s33, quebrando uma hegemonia de seis anos do Pinheiros. O Maria Lenk é a última seletiva para a formação da equipe brasileira que vai ao Mundial de Xangai (CHI), de 24 a 31 de julho. Mas o barbarense Cesar Cielo, de 24 anos, já tem índice para os 50 m (21s57) e os 100 m (48s48), no estilo livre, e os 50 m  borboleta (23s03), com os tempos feitos no Pan-Pacífico de Irvine, em agosto de 2010. Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.

Cielo volta a nadar 50 m livre na casa dos 21 segundos e leva ouro no Maria Lenk

O campeão mundial e olímpico ganhou a prova mais rápida da natação mundial para o seu clube, o Flamengo; competição também é preparatória para o Mundial de Xangai
Rio de Janeiro – Cesar Cielo voltou a nadar os 50 m livre na casa dos 21 segundos nesta temporada e conquistou o ouro para o Flamengo no 51º Brasileiro Absoluto, o Troféu Maria Lenk, na piscina do complexo Júlio Delamare. Cielo nadou a distância em 21s95, nesta quarta-feira (4/5), para ir ao lugar mais alto do pódio. Bruno Fratus ficou com a prata (22s20) e Nicholas dos Santos, companheiro de Cielo no Flamengo, com o bronze (22s50). Ao abrir o revezamento 4×50 m livre, na terça-feira (3/5), Cielo fez 21s73, o tempo mais rápido do mundo este ano. “Foi bom, me senti bem na água. Achei que poderia nadar como no revezamento, mas o importante foi ganhar. Não fiquei chateado com o tempo. Não estou raspado, não estou descansado. Fazer outro 21 segundos no ano é bom. Vamos esperar o Mundial chegar para estar polido e conseguir melhorar esse tempo”, observou Cielo. O velocista passou os 50 m sem respirar, mas disse que “pesou” no final. “Hora de descansar pro resto da competição! Bom ter dois rubro-negros no pódio”, afirmou Cielo, que ainda vai nadar os 100 m livre – com eliminatórias nesta quinta-feira, a partir das 18 horas -, os 50 m borboleta e os revezamentos do Flamengo 4×100 m livre e 4×100 m medley. Cielo foi ao pódio com uma bandeira do Flamengo que tem o seu rosto e o seu nome. O clube fez a bandeira em homenagem a Cielo. Sobre o fato de a segunda vaga nos 50 m livre para o Mundial de Xangai (CHI) ter ficado com Bruno Fratus e não com Nicholas dos Santos, seu companheiro de Flamengo e do Projeto Rumo ao Ouro em 2016 (P.R.O. 16), Cielo disse que faz parte do processo de competição. “O Bruno é um excelente nadador. Esporte é isso. Cada um tem de fazer o seu melhor e mostrar que isso foi suficiente.” O Mundial de Xangai, de 24 a 31 de julho, é a prioridade na temporada. Cielo disse que não assusta o fato de agora chegar como favorito. “É saber que tenho de fazer o meu melhor para estar entre os melhores.” Cielo acha que o Brasil terá uma seleção forte no Mundial.” Para o técnico Alberto Silva, no atual estágio de Cielo – não está raspado nem polido -, o resultado foi bom. “A saída dele encaixou melhor no revezamento e, para uma prova rápida como esta, é importante largar bem. Isso atrapalhou um pouco”, afirmou Albertinho. “Mas estamos satisfeitos com o que ele fez até agora. E o nosso objetivo, que era nadar o melhor tempo do mundo no ano, foi alcançado com os 21s73 que ele fez na abertura do revezamento. Foi um bom começo de Maria Lenk”, disse Albertinho. Cielo já tem duas medalhas de ouro na competição, a dos 50 m livre e a do revezamento 4×50 m livre. Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.

Cesar Cielo faz melhor marca do ano no mundo nos 50 m livre

O campeão mundial e olímpico da prova marcou 21s73 na abertura do revezamento 4×50 m livre do Flamengo – clube ficou com o ouro, à frente de Pinheiros e Minas Tênis Rio de Janeiro – O velocista Cesar Cielo nadou sua melhor marca no ano, e que também é a primeira do mundo, nos 50 m livre, com o tempo de 21s73, ao abrir o revezamento do Flamengo, nesta terça-feira (3/5), na piscina do Júlio Delamare, no 51º Brasileiro Absoluto de Natação, o Troféu Maria Lenk. O melhor tempo do mundo este ano era do francês Fred Bousquet (21s82). Cielo nadou com Ramom Melo, Henrique Rodrigues e Nicholas Santos e o revezamento 4×50 m livre do Flamengo levou a medalha de ouro, com 1min28s33, à frente do Pinheiros (1min29s00) e do Minas Tênis (1min31s13). Pouco antes, na semifinal dos 50 m livre, Cielo fez 22s32 (foi o segundo tempo, depois de Bruno Fratus, com 22s15, e à frente de Nicholas dos Santos (22s64). A melhor marca de Cielo na temporada era o tempo de 22s08, feito na Tentativa para o Mundial, em abril. Mas Cielo já tem índice para o Mundial de Xangai (CHI), de 24 a 31 de julho, nos 50 m livre, com o tempo de 21s57, feito no Pan-Pacífico de Irvine (EUA), em agosto do ano passado. A série foi liberada com atraso porque o bloco de partida da raia 5, justamente a dos nadadores do Flamengo, estava solto. “Foi bom. No final ainda pesou um pouco, mas vi que ainda tenho uma janela, dá para melhorar. Tirando o momento pré-prova, com o bloco quebrado – tinha um parafuso solto -, a adversidade da espera, que quebra a zona de concentração máxima, a prova foi muito boa. Eu quis abrir o revezamento para ser exemplo para o restante do grupo. O Ramom nadou muito bem, o Henrique, que nem é nadador dos 50 m livre, foi bem. O Nicholas, bom aí ele fechou porque podia fazer isso bem.” Para a final dos 50 m livre, nesta quarta-feira (4/5), a partir das 10 horas, no Júlio Dalamare, Cielo quer passar sem respirar. “Vai ser a hora da verdade”, brincou. Nas semifinais dos 50 m livre, Cielo, que nadou na primeira séria, respirou duas vezes. “Na final, quero nadar uma boa prova.” Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.