Cielo vai treinar no Brasil, com Albertinho, e lança P.R.O. 16

O campeão mundial e olímpico apresentou grupo de excelência para lutar por finais e pódio em competições internacionais; Instituto Cesar Cielo gerencia projeto São Paulo – Cesar Cielo vai se preparar no Brasil. O nadador treinará com o técnico Alberto Silva, o Albertinho, na piscina do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo, e terá a companhia de mais seis atletas, como ele, integrantes do P.R.O. 16 – Projeto Rumo ao Ouro em 2016 -, gerenciado pelo Instituto Cesar Cielo. O projeto é pioneiro, visa a colocar a natação brasileira nas finais e pódios das principais competições internacionais até 2016, vai usar uma piscina pública e repatria nadadores como o próprio Cesar Cielo, que treinava em Auburn, no Alabama, desde 2006. Cielo, de 24 anos, foi campeão olímpico dos 50 metros livre em Pequim/2008 treinando em Auburn, com o australiano Brett Hawke, mas foi com Albertinho que bateu o recorde mundial da distância, em 2009, no Brasil. “Em algumas competições em 2010, senti que faltava alguma coisa, o carro de corrida, a velocidade. Treinei com o Albertinho para o Mundial de Dubai e ele me deu confiança para nadar mais rápido. Consegui boas coisas em Dubai”, diz Cielo. “Daí veio a ideia de montar um grupo de excelência, capaz de conquistar medalhas para o Brasil em competições internacionais – o P.R.O. 16.” “O P.R.O. 16 concretiza o sonho de treinar com um grupo em alto nível, que vai além simplesmente de pensar com uma seletiva”, diz Cielo. “Esse grupo quer ir para as finais, subir ao pódio, bater recordes. E minha ideia é continuar treinando no Brasil. A não ser que o Albertinho esteja pensando em viver fora do País (rsrsrsrs). Essa é a minha melhor opção para conquistar o bi olímpico em 2012. Nós, atletas profissionais, queremos treinar aqui para conquistar medalhas para o País.” Instituto gerencia PRO 16 O P.R.O. 16 reúne sete nadadores – Cesar Cielo, André Schultz, Leonardo de Deus, Nicholas dos Santos, Henrique Rodrigues, Tales Cerdeira e Vinícius Waked – e tem direção técnica de Alberto Silva, o Albertinho. Se juntam à comissão técnica, o assistente-técnico Felipe Domingues, Paulo Cesar Marinho (biomecânica e estatística) e Gustavo Magliocca (médico). O objetivo é preparar um grupo de excelência, capaz de colocar o Brasil nas finais e no pódio das competições mais importantes da natação mundial: Jogos Pan-Americanos de Guadalajara/2011, Mundial de Xangai/2011, Olimpíada de Londres/2012, Mundiais de 2013 e 2014, Jogos Pan-Americanos de 2015 e a Olimpíada do Rio/2016. O projeto será gerenciado pelo Instituto Cesar Cielo, criado em julho de 2009, para promover e incentivar a prática e o desenvolvimento do esporte, captar e gerir recursos. “O Instituto é importante justamente para essa busca e gerenciamento dos recursos”, observa Cielo. “Nós fazemos a parte fácil, que é treinar e nadar. A parte difícil fica com o Instituto.” Com o P.R.O. 16, cada nadador seguirá participando de competições por seu clube. “Somos um grupo independente, e, porque acreditamos no projeto, estamos investindo do próprio bolso, no início. Os clubes dos nadadores bancam o salário para as competições, mas os recursos para outras despesas, como staff e estrutura, vêm dos patrocinadores”, explica Cielo. “Tirar do próprio bolso não era o que queríamos, mas precisávamos deixar tudo pronto, estruturado, porque a Olimpíada de Londres/2012 está logo aí. Com o tempo, o Instituto vai ter recursos para manter a estrutura. Estamos abertos a propostas de patrocínio.” “Só o fato de treinar no Brasil com um grupo de alto nível dá mais motivação, melhora o ambiente”, diz Cielo. “Você vê o cara do lado treinando e sabe que ele quer fazer melhor que o campeão olímpico. E eu, claro, não vou querer deixar ele ganhar de mim. Só o fato de treinar no Brasil com um grupo de alto nível dá mais motivação, melhora o ambiente: um ajuda o outro a buscar resultados.” O local escolhido para os treinamentos é a piscina do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo, ligado à Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura de São Paulo, dirigido pelo ex-judoca e medalhista olímpico Henrique Guimarães. A reforma da piscina foi concluída em 2008, quando a ex-atleta Magic Paula dirigia o complexo esportivo. “É uma honra ter como referência um campeão olímpico treinando numa piscina pública. E para nós, que trabalhamos com esporte de formação, ver um campeão olímpico treinando ao lado dos jovens atletas é incrível”, diz Henrique, diretor-geral do Esporte de Alto Rendimento da Cidade de São Paulo, que gerencia o COTP. A natação do COTP tem 105 alunos, vários deles federados, entre 8 a 17 anos, comandados pelo prof. Luiz Fernandes do Amaral Barbosa. “Quem sabe não surjam novos Cielos ou nomes para a natação? O grupo é uma sementinha que estamos deixando para os atletas em formação”, finaliza Henrique. Para Cielo, a piscina do COTP foi uma surpresa. “Conheci a piscina quando vim filmar um comercial do Avanço aqui. É uma piscina moderna, aquecida. Hoje, não tem melhor piscina para treinar no Brasil”, diz o campeão olímpico, contando que um garotinho, aluno do COTP, esperou que o treino acabasse para só então ir lhe pedir autógrafo. “O pessoal do esporte se entende. As crianças respeitam nosso espaço, esperam o treino acabar para vir falar com a gente. A criançada daqui é uma das plateias mais educadas que já vi na natação. Espero que saiam daqui alguns campeões.” Entusiasmo de Albertinho Albertinho, de 50 anos, está entusiasmado com a possibilidade de trabalhar com Cielo de forma permanente. “Para qualquer técnico poderia ser um peso. Com o Cesar, só se pode pensar em ganhar. Ele e quem o treinar vão querer ganhar – é o campeão olímpico, o recordista mundial…”, diz o técnico. “Mas estou acostumado a trabalhar com o Cesar desde que ele era menino e não me sinto pressionado pelo que ele é agora. Estou muito confiante, tranquilo com o trabalho. E quero vê-lo bem e confiante.” Albertinho fez uma opção pela excelência. “Eu estava no Pinheiros, clube que investe, dá oportunidade aos atletas, coloca a maior parte dos nadadores na seleção. Mas são 60 atletas e sempre há a preocupação de trabalhar um time grande para as competições”, diz o técnico. “É um bom trabalho, mas optei pela excelência no treinamento. Nossa meta principal, agora, é o Troféu Maria Lenk(de 2 a 8 de maio, no Rio de Janeiro), que vai definir a seleção brasileira para as principais competições da temporada. O treinador lembra que todos os nadadores do grupo têm afinidade com Cielo. “Todos já passaram pela seleção brasileira adulta. É um grupo pequeno, vou conseguir dar treinos individuais”, diz Albertinho, lembrando também a importância de ser espelho para a garotada. “É o primeiro fator de motivação. Vamos procurar nos integrar ao máximo com a comunidade, seja em palestras, seja em conversas de beira de piscina.” Com o P.R.O. 16, cada nadador seguirá participando de competições por seu clube. “Isso não muda, mas vamos poder desenvolver um trabalho mais focado, com um grupo pequeno”, diz o treinador. “O treino visa à qualidade, um trabalho individualizado, focado e com um grupo que pode ir às finais e ao pódio das principais competições internacionais.” Cesar Cielo é atleta do Flamengo, tem patrocínios de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.

Cielo vai treinar no Brasil, com Albertinho, e lança P.R.O. 16

O campeão mundial e olímpico apresentou grupo de excelência para lutar por finais e pódio em competições internacionais; Instituto Cesar Cielo gerencia projeto
São Paulo – Cesar Cielo vai se preparar no Brasil. O nadador treinará com o técnico Alberto Silva, o Albertinho, na piscina do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo, e terá a companhia de mais seis atletas, como ele, integrantes do P.R.O. 16 – Projeto Rumo ao Ouro em 2016 -, gerenciado pelo Instituto Cesar Cielo. O projeto é pioneiro, visa a colocar a natação brasileira nas finais e pódios das principais competições internacionais até 2016, vai usar uma piscina pública e repatria nadadores como o próprio Cesar Cielo, que treinava em Auburn, no Alabama, desde 2006. Cielo, de 24 anos, foi campeão olímpico dos 50 metros livre em Pequim/2008 treinando em Auburn, com o australiano Brett Hawke, mas foi com Albertinho que bateu o recorde mundial da distância, em 2009, no Brasil. “Em algumas competições em 2010, senti que faltava alguma coisa, o carro de corrida, a velocidade. Treinei com o Albertinho para o Mundial de Dubai e ele me deu confiança para nadar mais rápido. Consegui boas coisas em Dubai”, diz Cielo. “Daí veio a ideia de montar um grupo de excelência, capaz de conquistar medalhas para o Brasil em competições internacionais – o P.R.O. 16.” “O P.R.O. 16 concretiza o sonho de treinar com um grupo em alto nível, que vai além simplesmente de pensar com uma seletiva”, diz Cielo. “Esse grupo quer ir para as finais, subir ao pódio, bater recordes. E minha ideia é continuar treinando no Brasil. A não ser que o Albertinho esteja pensando em viver fora do País (rsrsrsrs). Essa é a minha melhor opção para conquistar o bi olímpico em 2012. Nós, atletas profissionais, queremos treinar aqui para conquistar medalhas para o País.”   Instituto gerencia PRO 16 O P.R.O. 16 reúne sete nadadores – Cesar Cielo, André Schultz, Leonardo de Deus, Nicholas dos Santos, Henrique Rodrigues, Tales Cerdeira e Vinícius Waked – e tem direção técnica de Alberto Silva, o Albertinho. Se juntam à comissão técnica, o assistente-técnico Felipe Domingues, Paulo Cesar Marinho (biomecânica e estatística) e Gustavo Magliocca (médico). O objetivo é preparar um grupo de excelência, capaz de colocar o Brasil nas finais e no pódio das competições mais importantes da natação mundial: Jogos Pan-Americanos de Guadalajara/2011, Mundial de Xangai/2011, Olimpíada de Londres/2012, Mundiais de 2013 e 2014, Jogos Pan-Americanos de 2015 e a Olimpíada do Rio/2016. O projeto será gerenciado pelo Instituto Cesar Cielo, criado em julho de 2009, para promover e incentivar a prática e o desenvolvimento do esporte, captar e gerir recursos. “O Instituto é importante justamente para essa busca e gerenciamento dos recursos”, observa Cielo. “Nós fazemos a parte fácil, que é treinar e nadar. A parte difícil fica com o Instituto.” Com o P.R.O. 16, cada nadador seguirá participando de competições por seu clube. “Somos um grupo independente, e, porque acreditamos no projeto, estamos investindo do próprio bolso, no início. Os clubes dos nadadores bancam o salário para as competições, mas os recursos para outras despesas, como staff e estrutura, vêm dos patrocinadores”, explica Cielo. “Tirar do próprio bolso não era o que queríamos, mas precisávamos deixar tudo pronto, estruturado, porque a Olimpíada de Londres/2012 está logo aí. Com o tempo, o Instituto vai ter recursos para manter a estrutura. Estamos abertos a propostas de patrocínio.” “Só o fato de treinar no Brasil com um grupo de alto nível dá mais motivação, melhora o ambiente”, diz Cielo. “Você vê o cara do lado treinando e sabe que ele quer fazer melhor que o campeão olímpico. E eu, claro, não vou querer deixar ele ganhar de mim. Só o fato de treinar no Brasil com um grupo de alto nível dá mais motivação, melhora o ambiente: um ajuda o outro a buscar resultados.” O local escolhido para os treinamentos é a piscina do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo, ligado à Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura de São Paulo, dirigido pelo ex-judoca e medalhista olímpico Henrique Guimarães. A reforma da piscina foi concluída em 2008, quando a ex-atleta Magic Paula dirigia o complexo esportivo. “É uma honra ter como referência um campeão olímpico treinando numa piscina pública. E para nós, que trabalhamos com esporte de formação, ver um campeão olímpico treinando ao lado dos jovens atletas é incrível”, diz Henrique, diretor-geral do Esporte de Alto Rendimento da Cidade de São Paulo, que gerencia o COTP. A natação do COTP tem 105 alunos, vários deles federados, entre 8 a 17 anos, comandados pelo prof. Luiz Fernandes do Amaral Barbosa. “Quem sabe não surjam novos Cielos ou nomes para a natação? O grupo é uma sementinha que estamos deixando para os atletas em formação”, finaliza Henrique. Para Cielo, a piscina do COTP foi uma surpresa. “Conheci a piscina quando vim filmar um comercial do Avanço aqui. É uma piscina moderna, aquecida. Hoje, não tem melhor piscina para treinar no Brasil”, diz o campeão olímpico, contando que um garotinho, aluno do COTP, esperou que o treino acabasse para só então ir lhe pedir autógrafo. “O pessoal do esporte se entende. As crianças respeitam nosso espaço, esperam o treino acabar para vir falar com a gente. A criançada daqui é uma das plateias mais educadas que já vi na natação. Espero que saiam daqui alguns campeões.”   Entusiasmo de Albertinho   Albertinho, de 50 anos, está entusiasmado com a possibilidade de trabalhar com Cielo de forma permanente. “Para qualquer técnico poderia ser um peso. Com o Cesar, só se pode pensar em ganhar. Ele e quem o treinar vão querer ganhar – é o campeão olímpico, o recordista mundial…”, diz o técnico. “Mas estou acostumado a trabalhar com o Cesar desde que ele era menino e não me sinto pressionado pelo que ele é agora. Estou muito confiante, tranquilo com o trabalho. E quero vê-lo bem e confiante.” Albertinho fez uma opção pela excelência. “Eu estava no Pinheiros, clube que investe, dá oportunidade aos atletas, coloca a maior parte dos nadadores na seleção. Mas são 60 atletas e sempre há a preocupação de trabalhar um time grande para as competições”, diz o técnico. “É um bom trabalho, mas optei pela excelência no treinamento. Nossa meta principal, agora, é o Troféu Maria Lenk(de 2 a 8 de maio, no Rio de Janeiro), que vai definir a seleção brasileira para as principais competições da temporada. O treinador lembra que todos os nadadores do grupo têm afinidade com Cielo. “Todos já passaram pela seleção brasileira adulta. É um grupo pequeno, vou conseguir dar treinos individuais”, diz Albertinho, lembrando também a importância de ser espelho para a garotada. “É o primeiro fator de motivação. Vamos procurar nos integrar ao máximo com a comunidade, seja em palestras, seja em conversas de beira de piscina.” Com o P.R.O. 16, cada nadador seguirá participando de competições por seu clube. “Isso não muda, mas vamos poder desenvolver um trabalho mais focado, com um grupo pequeno”, diz o treinador. “O treino visa à qualidade, um trabalho individualizado, focado e com um grupo que pode ir às finais e ao pódio das principais competições internacionais.” Cesar Cielo é atleta do Flamengo, tem patrocínios de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.

Encontro de ídolos do Flamengo: Cesar Cielo e Ronaldinho

O nadador, campeão mundial e olímpico, conheceu seu companheiro de clube no futebol e viu a estreia do craque da camisa 10 no Engenhão
O nadador Cesar Cielo foi ao Rio de Janeiro à convite da presidente do Clube, a ex-nadadora Patrícia Amorim, visitou a concentração do time de futebol e assistiu a estreia de Ronaldinho, no Engenhão. Cielo ouviu um elogio do camisa 10 do Flamengo, seu companheiro de clube. “Nossa, você é muito alto! Você é um peixe. Nada muito rápido. Impressionante. Acho fantástico o que você faz. A gente, quando mora fora, não tem ideia da dimensão do que essas conquistas representam para o país”, afirmou Ronaldinho.
Cielo desejou boa sorte a Ronaldinho e devolveu o elogio. “O Flamengo tem muita sorte de ter um jogador como você. E se eu sou o peixe das piscinas, você é o dos gramados.”
No camarote do Engenhão, Cielo encontrou o ator Bruno Galiasso e a líbero Fabi, da Unilever, campeã olímpica com o vôlei feminino.
Cesar Cielo é atleta do Flamengo e tem patrocínio de Avanço, Embratel, Arena e Gatorade.